Divisão Estadual de Combate à Corrupção prende 16 pessoas no Paraná e no Pará
Foto: PC/PR

Corrupção

Divisão Estadual de Combate à Corrupção prende 16 pessoas no Paraná e no Pará

Segurança por Luciana Peña em 07/10/2020 - 12:19

Elas são suspeitas de fazer parte de uma organização criminosa que invadia contas bancárias. Para apagar o rastro do dinheiro, os suspeitos captavam proprietários de veículos de luxo oferecendo descontos de até 50% no pagamento de IPVA. A maioria dos clientes não sabia da fraude porque os criminosos diziam ter créditos junto ao Governo do Paraná.


Foram oito meses de investigação e nesta quarta-feira (7), policiais da Divisão Estadual de Combate à Corrupção cumpriram 31 mandados de prisão e busca e apreensão em cidades do Paraná e em Marabá no Pará. 16 pessoas foram presas.

No Paraná os mandados foram cumpridos na capital, Curitiba, e em três cidades do interior: Foz do Iguaçu, Paranavaí e Umuarama.

Segundo a Deccor, os suspeitos entravam em contato com proprietários de carros de luxo e ofereciam a quitação do IPVA com descontos de 30 a 50%.

O débito era pago com dinheiro desviado de contas bancárias, explica o delegado Gustavo Mendes de Brito, do Núcleo Maringá da Divisão Estadual de Combate à Corrupção. [ouça no áudio acima]

Nem todos os clientes sabiam do esquema criminoso. Alguns acreditam na oferta vantajoso porque os suspeitos diziam ter créditos junto ao Governo do Paraná. [ouça no áudio acima]

Segundo as investigações, despachantes também estavam envolvidos com o esquema de fraude. [ouça no áudio acima]

Foram analisados 27 IPVAs, quitados por duas contas distintas, sendo uma do Rio Grande do Norte e outra da Bahia, nos anos de 2017 e 2019, totalizando R$ 87,9 mil. A organização criminosa se vale de fraude como esta, , de quitação de imposto, para desviar dinheiro de contas bancárias sem deixar rastro. Os donos do veículos não tiveram prejuízo. Apenas um, porque neste caso a conta invadida era da mesma instituição em que o IPVA foi pago e o banco conseguiu rastrear a operação.

Foto: Luciana Peña/CBN Maringá
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá