Às vésperas de partida, jogadora é impedida de atuar em time misto por causa da idade
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Esporte

Às vésperas de partida, jogadora é impedida de atuar em time misto por causa da idade

Esporte por Luciana Peña em 30/07/2021 - 13:08

Bia, de 11 anos, representa o time sub-12 de futsal de Maringá no campeonato paranaense. A Federação de Futsal fez valer uma resolução e Bia não poderá entrar em quadra no jogo desse sábado (31) em Itambé. A jogadora, que fez três gols em duas partidas, apela para que a decisão seja revertida.   

No Paraná, não tem campeonato de futsal para meninas nas categorias abaixo da sub-12, ou seja, com 12 anos ou menos.

Mas a Federação de Futsal permite que elas joguem com os meninos em times mistos. É uma forma de estimular as jogadoras e evitar que elas desistam do esporte.

A resolução que está no site da Federação Paranaense de Futebol de Salão diz que os times masculinos do sub-7 ao sub-11 podem ter até quatro meninas.

A jogadora da equipe de futsal sub-12 de Maringá, Beatriz Ferreira da Silva, a Bia, tem 11 anos, mas completa 12 agora em 2021.

No começo do ano, o técnico de Bia, Pietro de Souza Bettin, inscreveu o time no campeonato paranaense e não houve oposição.

Mas agora veio a ordem. Bia não pode jogar no time. E o próximo jogo é nesse sábado (31) contra o Academia de Futsal de Londrina, em Itambé. Pietro e a família da jogadora estão se mobilizando para reverter a decisão da Federação. [ouça o áudio acima]

Pietro questiona por que a Federação não se posicionou no momento da inscrição do time. [ouça o áudio acima]

Nas redes sociais, Bia, que pelo jeito tem um futuro brilhante nas quadras de futsal, mas é tímida no dia a dia, postou um apelo em vídeo. [ouça o áudio acima]

A Federação de Futsal do Paraná diz que a resolução é clara e está disponível no site. Segundo a Federação, meninas que completam 12 anos em 2021, como é o caso da Bia, podem disputar o campeonato estadual de base feminino sub-13, que será realizado em setembro e em outubro. Mas por causa da polêmica, o caso da Bia está sendo avaliado pelo departamento jurídico da Federação.