R$ 1,5 milhão serão repassados para espaços culturais em Maringá
Imagem Ilustrativa/Foto: Léo Rodrigues/Arquivo/Agência Brasil

Auxílio

R$ 1,5 milhão serão repassados para espaços culturais em Maringá

Cultura por Victor Simião em 23/10/2020 - 18:24

Uma comissão criada pela Secretaria de Cultura aprovou 56 solicitações. O dinheiro veio por conta da lei Aldir Blanc. A previsão é que as quantias sejam entregues a partir da primeira semana de novembro.

Dos R$ 2,6 milhões enviados pelo Governo Federal para Secretaria de Cultura de Maringá, em torno de R$ 1,5 milhão vai para 56 espaços culturais. O dinheiro vem mediante a lei Aldir Blanc. 76 produtores da cidade, responsáveis por esses locais, se inscreveram para receber auxílio. 56 cumpriram as exigências e foram selecionados, conforme está no Diário Oficial do Município. A quantia é de R$ 1,5 milhão, mas pode ser alterada porque alguns ajustes internos estão sendo feitos. O outro R$ 1,1 milhão será destinado a criação de novos editais para o setor.

Para receber o valor do Governo Federal, Maringá precisou seguir uma série de medidas burocráticas. Os governos estaduais ficam responsáveis por encaminhar uma quantia aos artistas individualmente. Os municípios, às pessoas jurídicas. Em Maringá, o subsídio varia de R$ 3 mil a R$ 10 mil. Uma comissão foi montada na Secretaria de Cultura, que avaliou os 76 inscritos.

A quantia é um auxílio para os agentes culturais da cidade que tiveram algum problema financeiro devido à Covid-19. A lei Aldir Blanc foi uma iniciativa proposta pelo Congresso. O objetivo é ajudar a cultura, um dos setores mais impactados por conta do novo coronavírus.

Para receber o dinheiro do Governo Federal, Maringá teve de aprovar uma lei criando uma rubrica. É que dentro da Secretaria de Cultura não havia uma espécie de “reserva” para subsídios. Agora, há.

A CBN consultou a Semuc nesta sexta-feira (23). A informação é a de que o dinheiro deve começar a ser repassado para os responsáveis pelos espaços culturais na primeira semana de novembro.

O restante será para criar editais culturais que incluem áreas como roteiro. O dinheiro para cada um deles ainda não está definido, como explicou o secretário Chico Pinheiro, tempos atrás à reportagem. [ouça no áudio acima]