520 maringaenses foram vítimas do golpe do 'Falso Whatsapp' em 2022
Foto Ilustrativa: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Prevenção

520 maringaenses foram vítimas do golpe do 'Falso Whatsapp' em 2022

Segurança por Victor Ramalho em 20/04/2022 - 16:26

O levantamento é da Delegacia de Estelionato de Maringá e o número corresponde a 20% do total das ocorrências atendidas pelo órgão na cidade. Especialista dá dicas para não cair neste tipo de golpe.

Os golpes no aplicativo de menagens Whatsapp já são recorrentes há algum tempo. Eles vão desde a clonagem da conta de um usuário até mesmo o chamado 'falso perfil'. Na primeira modalidade, o estelionatário consegue copiar o número e a conta da pessoa para um outro aparelho. Na segunda, mais simples, o golpista simplesmente pega a foto e o nome da vítima e se passa por ela, mas de um número diferente.

Nos dois golpes, o modo de atuação dos estelionatários é o mesmo: fazer contato com um familiar ou pessoa próxima da vítima, se passando por ela, e pedir dinheiro. Diversos relatos de maringaenses vítimas do golpe do 'Falso Whatsapp' foram vistos nas redes sociais nas últimas semanas. E os dados mostram que este tipo de crime segue em alta.

Segundo um levantamento realizado nesta quarta-feira (20), pela Delegacia de Estelionato de Maringá, 520 pessoas procuraram o órgão, somente nos quatro primeiros meses de 2022, para registrar boletim de ocorrência sobre o golpe. O número corresponde a 20% do total das ocorrências de estelionato na cidade.

Ainda conforme a Polícia Civil, na maioria das vezes os golpistas conseguem as informações das vítimas por meio de vazamentos de dados de empresas de tecnologia ou telefonia. No fim do ano passado, o órgão elaborou uma cartilha, com dicas simples, para que os usuários não caiam mais no golpe.

A primeira dica é permitir a visualização da foto da conta do usuário apenas para contatos autorizados. A outra, e mais importante, é ficar sempre atento a mensagens de conhecidos, com números diferentes do tradicional, pedindo dinheiro ou transferências bancárias.

Conforme o especialista em segurança digital, Clemilson Correia, se proteger deste tipo de golpe é uma tarefa que exige atenção tanto das empresas quanto dos usuários. Mas orientações simples podem ajudar. [ouça no áudio acima]

E caso você seja vítima deste tipo de estelionato, pode procurar a Delegacia de Estelionato de Maringá, pelo número (44) 3309-3200.