‘Minha vontade era ter morrido naquele incêndio’, diz dona de empresa destruída por fogo em Maringá
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Tristeza

‘Minha vontade era ter morrido naquele incêndio’, diz dona de empresa destruída por fogo em Maringá

Cidade por Fabio Guillen/GMC Online em 16/10/2020 - 20:43

Luiza Camargo, 48 anos, não sabe por onde recomeçar. Emocionada e inconsolada, ela disse que perdeu tudo o que conquistou em 18 anos de trabalho em menos de 20 minutos. A empresa dela, a Charme Flores e Decoração, foi completamente destruída por um incêndio na última quarta-feira (14), no Maringá Velho.

A empresária desabafa que está sendo muito difícil olhar para a empresa e ver tudo o que foi perdido.

“Eu não tenho mais coragem de ir no lugar. Não tenho condições nenhuma mais. Perdemos tudo. Perdi meu ganha pão. Estou perdida, desolada. Não sei o que vou fazer da minha vida a partir de agora. Não sei como estou sobrevivendo. Uma empresa de 18 anos no mercado, um trabalho maravilhoso que faço para o Brasil inteiro, dentro de 18 minutos se perdeu todo. Mais de R$ 3 milhões se foram. Minha vontade era ter morrido naquele incêndio”, disse Luiza Camargo em entrevista ao GMC Online. 

Luiza relata que na hora do incêndio na empresa só conseguiu retirar os funcionários do local. Todo o estoque da empresa estava no mesmo lugar por causa da pandemia e não sobrou nada. Dentro do prédio estavam guardados móveis e objetos de alto custo, segundo a empresária. 

“Nosso material estava todo na sede da Charme. Tínhamos poltronas caras, poltronas de R$ 11 mil. Minha câmara fria, de R$ 50 mil, derreteu. Eu não consigo acreditar como pode ter desaparecido tudo. Virou fumaça. Tinha tanta coisa lá dentro. É muito difícil”, desabafa a empresária, emocionada. 

O fogo começou depois que uma vela caiu no chão, nos fundos do barracão que ficava na Avenida Brasil, no Maringá Velho. Os bombeiros levaram quase duas horas para controlar o incêndio. Mesmo passando por essa situação difícil, a empresária disse que não quer que o funcionário que derrubou a vela se sinta culpado. 

“Ele não tem culpa. Foi um acidente de trabalho, tadinho. Aconteceu. Não quero que ele se sinta culpado. É difícil, mas graças a Deus ninguém morreu lá dentro”, disse. 

Recomeço 

A empresária disse que não sabe por onde recomeçar. A empresa tinha muitos contratos para atender e não tem mais estoque. Luiza disse ao GMC Online que só pede a compreensão dos clientes. 

“Eu não sei nem o que te falar sobre recomeço. Não sei por onde recomeçar. Só peço aos meus clientes que tenham piedade porque não foi culpa da Charme. Foi um acidente. Eu perdi meu ganha pão. Não sei o que vou fazer agora”, disse Luiza, muito emocionada.

O prédio consumido pelo incêndio era alugado e a empresa não tinha seguro. 

foto: Luciana Peña/CBN Maringá
foto: Luciana Peña/CBN Maringá