Novo terminal, desejos antigos
Foto: Victor Simião/CBN Maringá

Transporte público

Novo terminal, desejos antigos

Cidade por Victor Simião em 28/02/2020 - 16:45

Apesar do novo espaço para os ônibus na cidade, usuários pedem melhorias no sistema. Prefeitura diz que tem buscado avançar. “O preço já é caro, mas estamos segurando”, disse Ulisses Maia. 

Na prática, o novo terminal urbano de Maringá começa a funcionar no dia 1º de março, com embarque e desembarque de passageiros. Mas esta sexta-feira (28) foi marcada pela gestão da Prefeitura como o dia de inauguração da estrutura de quase 30 mil metros quadrados. 

O custo da obra foi de R$ 56 milhões, segundo a Prefeitura de Maringá. Ao todo, R$ 64 milhões foram investidos no sistema de mobilidade da cidade. A expectativa é que diariamente, 30 mil pessoas circulem pelo local. 

A estrutura é nova, mas o desejo dos usuários é antigo. Na tarde desta sexta, a CBN ouviu pessoas que utilizam o transporte coletivo em MAringá. 

A estudante Elisangela Aparecida, por exemplo, queria que a passagem fosse mais barata. 

A Prefeitura diz buscar fazer melhorias. O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, disse que o preço da passagem está a R$ 4,30 -preço que ele já considera alto. E só não aumentou porque o município tem segurado, falou à CBN Maringá.

O pedreiro Valdir Cardoso estava observado o terminal. Ele, que vive em Sarandi, não gostou de saber que não haverá pontos metropolitanos dentro do espaço. Cardoso não tem esperança de melhoras.

Em relação aos ônibus metropolitanos, a Prefeitura de Maringá disse que não havia essa previsão no projeto anterior. Os pontos estão próximos ao terminal. Além disso, informou que o projeto aponta para o futuro em que o transporte da região será feito por trem. Por isso o ‘intermodal’ no nome do terminal. 

O espaço tem 44 pontos de embarque e desembarque de passageiros e irá atender 66 linhas de ônibus. 

Nessa nova obra há espaço para lojas em um segundo piso. Lá, ainda haverá licitação. Há também uma área reservada para exposições de arte. 

Segundo o município, as obras começaram em julho de 2016, mas ficaram paradas até meados de 2017 por conta de uma série de problemas. Uma CPI foi realizada para investigar o terminal.