Ricardo Barros é candidato a presidente da Câmara dos Deputados
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Ricardo Barros é candidato a presidente da Câmara dos Deputados

Por Diniz Neto em 14/01/2019 - 10:09
Player Ouça o boletim

RICARDO BARROS CANDIDATO A PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS
O deputado federal Ricardo Barros distribuiu a seguinte nota aos seus colegas do PP, no sábado, dia 12:

"Bom dia a todos os progressistas. Quero pedir seu voto para presidente da Câmara dos Deputados. Meus 30 anos de vida pública e a passagem austera e realizadora pelo ministério da saúde me animam a esta jornada. Farei minha inscrição como candidato avulso. Deus ilumine esta jornada. Ricardo Barros".

Ricardo articula a candidatura a partir da uma aliança do seu partido com o MDB, ambos fora da composição para a mesa diretora da Câmara dos Deputados, onde Rodrigo Maia, do DEM, com apoio do PSL e vários outros partidos, parece imbatível.

Mas o grande crescimento do poder do DEM, a partir de Onyx Lorenzoni, homem forte do governo Bolsonaro, motiva união de forças para ocupar espaços e impedir o avanço deste predomínio.

Bastidores agitados a 17 dias da posse dos deputados e senadores.

RICARDO MANDA MENSAGENS A DEPUTADOS E GARANTE GABINETE DE PORTAS ABERTAS
Assim que anunciou sua candidatura à presidência da Câmara dos Deputados, o deputado federal, Ricardo Barros (PP-PR), disparou mensagens do seu celular para os colegas parlamentares pedindo votos e assumindo o compromisso de manter um diálogo transparente com as portas abertas do gabinete da presidência para atender a todos, prática adotada na sua gestão à frente do Ministério da Saúde.

"Minha palavra dada é compromisso cumprido: sim é sim, não é não. Com transparência! Terei um gabinete de portas abertas a exemplo do que fiz no Ministério da Saúde, atendendo a todos, para uma pauta ampla".

Se definindo como um político de resultados e com uma candidatura avulsa, Ricardo Barros aposta na experiência de 30 anos de vida pública e no trabalho reconhecido à frente do Ministério e na relatoria-geral do orçamento para somar votos e agregar apoiadores de legendas do centrão, da oposição e também de governistas. Uma opção viável e segura, segundo ele.

"Ao longo de 30 anos de vida pública, conduzi uma austera e realizadora gestão como Ministro da Saúde, fui relator-geral do orçamento da União, secretário de Estado do Paraná e prefeito de Maringá (PR), minha terra natal. Essa experiência me anima a colocar meu nome a sua apreciação".

De acordo com Barros, a Câmara deve assumir o seu protagonismo no ambiente de mudanças do governo do presidente Jair Bolsonaro. “A Câmara deve ser protagonista das mudanças; no mesmo patamar do Judiciário e do Executivo. Harmonia e independência dos poderes como diz a Constituição", defende.

"Sou um político de resultados e neste momento do Brasil, do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Toffoli, quero contribuir com o país e com essa Casa. Peço a sua confiança e seu voto para juntos fortalecemos a imagem, a ação e o protagonismo da Câmara dos Deputados", completou.

PRESIDÊNCIA DO SENADO
Renan Calheiros (MDB-AL) continua favorito a presidir o Senado. Ele tem em oposição os seguintes candidatos declarados a presidente: Tasso Jereissati (PSDB/CE), Álvaro Dias (Podemos/PR), Espiridião Amin (senador-eleito PP/SC), Major Olímpio (senador-eleiro PSL/ SP), Davi Alcolumbre (DEM/AP), além de Simone Tebet, também do MDB (MS), que pode lançar candidatura avulsa. A senadora corre por fora na disputa e tenta se viabilizar como “terceira-via”, isto é, nem pró nem contra o Planalto, e sob o argumento de que já é hora de uma mulher presidir a Casa.

A presidência do Senado é muito importante. Seu ocupante preside o Congresso Nacional e é o terceiro na linha sucessória.

DOIS PARANAENSES CANDIDATOS
Com a confirmação da candidatura de Ricardo Barros à presidência da Câmara dos Deputados, pela primeira vez o Paraná tem dois candidatos no Congresso Nacional. Ricardo na Câmara dos Deputados e Alvaro Dias no Senado.

Não me lembro de outro momento em que isto tenha ocorrido.

Ricardo nasceu em Maringá. Alvaro em Quatá, São Paulo. Mas a sua família veio morar em Maringá e muitos permanecem aqui. É grande a sua ligação com Maringá, apesar de ter começado a vida política como vereador em Londrina.

FRASE DE CECÍLIA MEIRELES
"Não venci todas as vezes que lutei, mas perdi todas as vezes que deixei de lutar". Cecília Meireles

Alvaro Dias postou esta frase nas suas redes sociais, no dia 8 de janeiro.

Diante do favoritismo de Renan Calheiros, a frase faz sentido.

O curioso é que essa frase é uma das bases do trabalho e da vida de Ricardo Barros. Ele sempre diz que a única pessoa que perde uma eleição é quem não disputa.

CALENDÁRIO PARA O LITORAL
O Litoral do Paraná vai ganhar um calendário turístico, que começará a ser elaborado pelo Governo do Estado ainda neste ano, após o Carnaval. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante reunião com os prefeitos do Litoral, neste sábado (12), em Matinhos.

CHEFE DO NÚCLEO É DE SARANDI
O governador Ratinho Junior confirmou o nome do professor Luciano Pereira dos Santos, diretor do Colégio Estadual Helena Kolody, de Sarandi, como novo chefe do NRE.

Havíamos falado aqui que os chefes de Núcleo seriam escolhidos por critérios de seleção. Mas as chefias foram nomeadas. Há quem diga que o processo seletivo ocorrerá, possivelmente no final do primeiro semestre. Acho muito difícil que isto ocorra.

As nomeações são fruto de necessidade. Os núcleos não podem ficar sem comando. E também demonstram quem é quem na influência e no mando político de cada região.

Na nossa região a bola está com o deputado estadual Evandro Araújo.

CÂMARA CERCADA
Finalmente começou a ser executada a obra licitada no ano passado. Começou a ser colocada a cerca na frente da Câmara.

É quase inacreditável o que está acontecendo na Câmara Municipal de Maringá. Palmeiras foram arrancadas e agora a cerca, que terá inclusive portão eletrônico. Mudança total no paisagismo do local e também a questão simbólica e real do isolamento do Legislativo.

Acompanhei a construção da Câmara, durante a obra. Um belo prédio. A Câmara saiu do prédio acanhado, velho, improvisado e alugado, na praça Rocha Pombo, para a sua casa própria.

O projeto original já foi modificado. Havia um túnel na entrada, que foi retirado. Gostei da abertura, ficou mais próximo das pessoas.

Não consigo entender a necessidade de uma cerca na Câmara Municipal de Maringá e a obra me entristece. Creio que não sou o único maringaense que não gosta da ideia e não a aprova.

Mexe com a paisagem maringaense, com as tradições de liberdade e progresso da cidade, alerta que, de alguma forma, tem gente que não acredita na nossa segurança, que tem medo das pessoas ou de alguma coisa que desconhecemos, que duvida que o futuro possa ser melhor.

Notícias da mesma editoria