Empresário morto na região de Maringá passeou de lancha com suspeitas antes do crime, diz polícia
Eclair Mestriner e a lancha usada no dia que ele desapareceu, segundo a polícia. Foto: Reprodução

Emboscada

Empresário morto na região de Maringá passeou de lancha com suspeitas antes do crime, diz polícia

Segurança por Ricardo Freitas/GMC Online em 28/06/2022 - 12:28

Antes de ser assassinado, o empresário Eclair Mestriner, de 63 anos, morador de Paranavaí, usou a lancha de sua propriedade e passeou em Porto Rico com as duas suspeitas de envolvimento no crime, adolescentes de 16 e 18 anos de idade, que são irmãs. A informação é da Polícia Civil que investiga o caso. O delegado Alyson Tinoco disse que Eclair conheceu as jovens em Paranavaí e resolveu passar o dia com elas no rio. Eles se deslocaram a Porto Rico na última sexta-feira (24). Nesse mesmo dia, familiares de Eclair deram falta dele.

As investigações apontam para uma emboscada e latrocínio (roubo seguido de morte) com a participação das adolescentes e de outros dois jovens, amigos delas. Todos foram presos. O corpo do empresário foi encontrado no rio Pirapó, entre os municípios de Ângulo e Florida, no domingo, 26 de juho.

Eclair foi enforcado e jogado no rio. A causa da morte, segundo a perícia, foi afogamento.

Nessa segunda-feira (27), a partir de uma autorização judicial, a polícia teve acesso aos celulares das jovens. Várias mensagens foram apagadas, mas entre as recuperadas, uma das adolescentes escreve para um homem: “Pode vir, estamos saindo de Porto Rico”.

“São muitas mensagens, ainda estamos verificando os celulares. Mas acreditamos que essa foi a senha para que o latrocínio (roubo seguido de morte) ocorresse. Provavelmente, nessa hora, os dois rapazes saíram de um ponto que vamos descobrir e encontraram o empresário para matá-lo”, afirmou o delegado.

A polícia também usou uma substância conhecida como luminol e descobriu que há sangue dentro do carro do empresário, um Toyota Corolla.

Como a polícia descobriu

Familiares do empresário registraram o desaparecimento no dia 25 de junho, na Polícia Civil de Paranavaí. No domingo (26), policiais militares localizaram o veículo da vítima em Santa Fé, em posse de duas jovens. Elas não conseguiram explicar o que estavam fazendo com o veículo e de onde haviam retirado o carro.

Com as informações repassadas, a Polícia chegou a outros dois homens, que estavam também em Santa Fé, trafegando com um Cruze. Os documentos pessoais da vítima foram encontrados dentro do automóvel.

Um arma de fogo também foi encontrada com os suspeitos. As mulheres admitem que estavam com o empresário em Porto Rico. Todos poderão responder por latrocínio, formação de quadrilha e ocultação de cadáver.

“Nós ainda temos muito trabalho pela frente, mas já são muitos elementos contra essas quatro pessoas. Elas estavam circulando com o carro de um homem assassinado e com sangue da vítima dentro, tem a arma, que pode só ter sido utilizado para ameaçar a vítima, já que não havia marcas de tiros no corpo”. afirmou o delegado.

Acesse GMC Online

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550

Teste com Luminol no carro do empresário. Foto: Polícia Civil
Teste com Luminol no carro do empresário. Foto: Polícia Civil
Veículos apreendidos pela polícia, Corolla do empresário ao fundo. Foto: Polícia Civil
Veículos apreendidos pela polícia, Corolla do empresário ao fundo. Foto: Polícia Civil