Gás natural veicular seria solução para elevação de preço dos combustíveis?
Nesta manhã, motoristas saíram pelas ruas de Maringá em protesto contra o aumento nos preços dos combustíveis | Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Economia

Gás natural veicular seria solução para elevação de preço dos combustíveis?

Cidade por Luciana Peña em 03/03/2021 - 13:05

A Companhia Paranaense de Gás diz que não há viabilidade econômica para instalar uma base operacional em Maringá. Pelo menos não sem uma rede de gasoduto para distribuição. Nesta quarta-feira (2), motoristas protestaram contra o aumento nos preços dos combustíveis. 

Depois de uma carreata pelas ruas de Maringá os manifestantes foram para a frente da distribuidora da Petrobras no Contorno Sul.

Lá, com carro de som, pediram a redução dos preços dos combustíveis.

Centenas de manifestantes, com presença do Choque da Polícia Militar para evitar qualquer confusão.

Mas ninguém impediu a passagem dos caminhões tanque. O trânsito ficou congestionado na Avenida Colombo e no Contorno Sul.

De lá os motoristas e motociclistas seguiram para a CPA em Sarandi, também uma central de distribuidoras.

Os manifestantes arrecadaram dinheiro entre eles para pagar o carro de som que só poderia ser usado até o meio-dia, horário em que estava previsto o encerramento da mobilização.

Dificilmente a manifestação vai conseguir resultado prático porque a decisão sobre preços de combustíveis é tomada bem longe daqui.

Mas o protesto ajuda a refletir: qual a solução? No ano passado, também na esteira da insatisfação popular com o preço dos combustíveis, o deputado estadual Homero Marchese questionou a Companhia Paranaense de Gás sobre a possibilidade de abrir em Maringá uma base operacional para o gás natural veicular. Uma forma de aumentar a concorrência e baratear custos. Mas a resposta foi que não há viabilidade econômica. [ouça no áudio acima]

A viabilidade econômica poderia surgir caso houvesse um gasoduto passando por Maringá. [ouça no áudio acima]

A CBN não conseguiu contato com a Compagás.