Menos de um mês após ser solto, motorista que provocou dois acidentes na BR-376 é novamente preso
No último domingo (26), o motorista capotou o carro que dirigia enquanto trafegava na BR-376, em Marialva. Ele respondia em liberdade por um outro acidente, ocorrido em dezembro de 2021, em Sarandi | Foto: Divulgação/PRF

Marialva

Menos de um mês após ser solto, motorista que provocou dois acidentes na BR-376 é novamente preso

Segurança por Victor Ramalho em 29/06/2022 - 15:53

Plínio José Cesso, de 57 anos, foi preso por descumprimento de medidas cautelares. Em dezembro de 2021, ele se envolveu em um acidente que matou uma criança e deixou outras 13 pessoas feridas em Sarandi, mas estava solto desde o começo de junho, após uma decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

A Polícia Civil cumpriu na noite dessa terça-feira (28), em Marialva, um mandado de prisão contra Plínio José Cesso, de 57 anos, motorista acusado de provocar um acidente que matou uma criança de 10 anos e deixou outras 13 pessoas feridas na BR-376, em Sarandi, no Natal de 2021. A prisão havia sido solicitada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) e foi atendida pela Justiça. Ele havia sido solto no dia 6 de junho, após uma decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

Mas nessa terça (28), o motorista foi novamente preso por descumprimento de medidas cautelares impostas quando ele deixou a prisão no começo do mês. Ainda de acordo com a Polícia Civil, Cesso também foi acusado de violência doméstica contra um familiar. Ele já havia se envolvido em um outro acidente no último domingo (26), também na BR-376, em Marialva, a cerca de um quilômetro do local do acidente registrado em dezembro. No entanto, o capotamento não envolveu outros veículos. De acordo com a PRF, Plínio foi multado em quase R$ 3 mil e levado para um hospital da região com ferimentos leves.

Para deixar a prisão e responder o processo em liberdade em junho deste ano, o acusado precisou cumprir uma série de medidas cautelares. Entre elas, estão o comparecimento em juízo todos os meses a fim de informar e justificar as atividades, inclusive de tratamento de saúde, além de estar proíbido de frequentar bares ou demais estabelecimentos onde ocorra a venda de bebida alcoólica. O motorista também não pode deixar a região sem uma autorização da Justiça e teve Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa.

O acidente que vitimou a criança ocorreu no dia 25 de dezembro de 2021 e envolveu três veículos. Todos seguiam no sentido Maringá a Marialva. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Cesso conduzia uma caminhonete Nissan/Frontier, que colidiu violentamente na traseira de um Gol, arremessando-o para fora da via. Em seguida, o motorista bateu na traseira de um Corsa, que também foi jogado a vários metros de distância.

Na ocasião, Ryan Vinícius de Araújo Santana, de 10 anos, chegou a ser hospitalizado em estado grave. Ele morreu 10 dias depois do acidente. O motorista se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas foi preso em flagrante pela equipe da PRF apresentando sinais de embriaguez e encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Sarandi.

De acordo com o advogado do motorista, José Carlos Ragiotto, a defesa buscará entender as motivações que levaram Plínio a descumprir as medidas. [ouça no áudio acima]