10% das licitações em Maringá são para Covid-19
Imagem Ilustrativa | Foto: Cléber França/GMC Online

Processos

10% das licitações em Maringá são para Covid-19

Cidade por Victor Simião em 14/09/2020 - 16:56

Dados do Portal da Transparência mostram que 57 certames foram realizados entre março e este momento em razão da doença. Ao todo, a Prefeitura Municipal publicou 503 licitações ao longo deste ano.

A chegada da Covid-19 alterou os trabalhos internos da Prefeitura de Maringá. De janeiro a 14 de setembro deste ano, o Executivo municipal lançou 503 licitações. São editais para compra de equipamentos de todos os tipos, serviços, ações culturais e, claro, itens focados no novo coronavírus. Dados do Portal da Transparência, em levantamento feito pela CBN Maringá, mostram que a pandemia é a responsável por 10% do total de licitações: 57 até o momento.

Os dados são relativos até a tarde desta segunda-feira (14). A reportagem leva em conta todas os certames, incluindo os que ficaram desertos ou foram revogados.

No caso da Covid-19, a licitação com o preço mais alto foi registrada no dia 10 de junho: R$ 4,5 milhões para contratação de leitos de UTI e Enfermaria. O valor foi repassado à Universidade Estadual de Maringá, para o Hospital Universitário.

A licitação mais barata foi para a compra de cabos para monitores das Unidades de Pronto Atendimento: R$ 1.590, feita em 22 de abril.

Dos 57 certames específicos para a Covid-19, apenas um foi revogado. Outro, aguarda a abertura. Este é um pregão para registro de preços de EPIs (equipamentos de proteção individual) no valor de R$ 533 mil. Os itens serão para trabalhadores da Educação e também alunos.

Desde o início da pandemia, em março, uma lei federal permite compras por parte da Prefeitura por meio de dispensa de licitação. Ou seja, sem haver necessariamente uma disputa de concorrência. Na prática, o Executivo deve tentar buscar o melhor serviço e que tenha o menor preço.

Na questão financeira, a Prefeitura de Maringá empenhou R$ 45 milhões até o momento para o combate à Covid-19. Essa categoria significa que o dinheiro está reservado para ser gasto. Desse valor, o Executivo já pagou R$ 26 milhões. O dinheiro foi para compra de equipamentos, leitos e afins. Não necessariamente apenas para as licitações.

A Prefeitura tem recebido repasses dos governos federal e estadual, além de doações.

Até o momento, Maringá tem 126 mortes em razão da Covid-19, além de mais de sete mil casos confirmados.