Aplicativos: alternativa de mobilidade
Imagem ilustrativa/Pixabay/domínio público

Opinião

Aplicativos: alternativa de mobilidade

Por Gilson Aguiar em 03/06/2019 - 08:10

Diante do desemprego ter acesso a uma possibilidade de renda é fundamental. A grande maioria de nós vive a insegurança do mercado de trabalho. Se faz necessário atividades profissionais que possam democratizar a atuação. Uma delas são os aplicativos de mobilidade urbana, Uber e 99 por exemplo.

Sou um adepto do uso deste tipo de meio de deslocamento urbano. Nas minhas idas e vindas, no banco do carona, gosto de perguntar aos motoristas um pouco sobre o que os levou a optar pela vida no aplicativo. Minha conclusão é de que a atividade é democrática, cresce entre as mulheres, e é uma possibilidade de espera para quem está à procura de um trabalho mais estável ou para dar continuidade a carreira.

Muitos dos motoristas dos aplicativos estão desempregados. Não consideram a atividade tão lucrativa e afirmam que para se ter algum retorno o esforço tem que ser grande. Muitas mais de 20 viagens por dia para um mínimo de retorno. Contudo, não há uma reclamação da atividade, alguns reclamam da gerenciadora do aplicativo.

Neste ambiente diverso, alguns são profissionais que tem no transporte por aplicativo um segundo emprego. Outros, até mesmo empresários, tem no Uber uma forma de ocupar de forma lucrativa uma parte do dia. Cheguei a conhecer um empresário do ramo de serviços que transporta pessoas para poder conhecer gente, se distrair conversar, para relaxar.

Porém, o fundamental dos aplicativos na mobilidade urbana é a possibilidade de retirada de veículos das ruas e dar uma alternativa de transporte com menor custo. Há pessoas, e tudo indica que este número está crescendo, que estão abandonando seus veículos próprios para aderirem a esta alternativa de modal. Isto é um bom sinal.

Temos que incentivar os aplicativos, dar outras opções de deslocamento a um custo menor para os usuários e alternativas de trabalho para as pessoas que desejam ser motoristas. É possível adaptar a profissão aos horários. Defendo que os aplicativos continuem, diversifiquem, multipliquem e se transformem em uma alternativa popular para atingir um mercado que necessita de respostas eficientes para a mobilidade urbana.

Player Ouça o comentário

Notícias da mesma editoria