Aposentadorias e pensões municipais custaram R$ 134 milhões em 2019
O valor é 16% maior que o pago em 2018. Os dados são da Maringá Previdência (Foto:Cléber França/GMC Online)

Em Maringá

Aposentadorias e pensões municipais custaram R$ 134 milhões em 2019

Cidade por Victor Simião em 03/06/2020 - 18:14

O valor é 16% maior que o pago em 2018. Os dados são da Maringá Previdência. Atualmente, são 3.407 benefícios. 

O custo dos 3.407 benefícios pagos pela Maringá Previdência ficou em R$ 134 milhões em 2019. O dado é da autarquia. São aposentados e pensionistas do poder público municipal. O valor de 2019 é 16% maior que o pago em 2018. Naquele ano, foram R$ 115 milhões.

A Maringá Previdência tem dois fundos: o previdenciário e o financeiro. O financeiro é o mais antigo e é deficitário. O previdenciário, mais recente, tem superávit .Em outras palavras, é um fundo que capitaliza os recursos para pagamento dos benefícios futuros. No caso do financeiro, há mais aposentados e pensionistas que servidores ativos. Por esse motivo, a Prefeitura precisa fazer aportes para complementar o valor necessário para a folha de pagamento.

A Maringá Previdência pagou R$ 114,1 milhões para aposentadorias e R$ 19,9 milhões em pensões, em 2019.

Dados do relatório da Maringá Previdência explicam os valores. Dos R$ 134 milhões pagos, R$ 130,6 milhões saíram do fundo financeiro. R$ 3,4 milhões saíram do previdenciário.

Em 2019, 396 pessoas pediram e conseguiram aposentadoria e pensão. A carteira de investimentos da Maringá Previdência ficou em R$ 454 milhões no ano passado.

O fundo financeiro é deficitário há muitos anos. A situação está sob controle, segundo a Maringá Previdência.

Em 2019, além das receitas obtidas pelo pagamento das contribuições do servidor e da Prefeitura, entre outras, o Executivo aportou R$ 88 milhões no fundo financeiro - o equivalente a 6% da receita corrente líquida do município. O percentual é semelhante ao pago em 2018. 

O fundo financeiro está previsto para ser extinto nas próximas décadas. Até lá, aportes serão necessários.

Segundo a diretora-superintendente da Maringá Previdência, Cinthia Amboni, os gastos já são previstos. [ouça no áudio acima]

 

Atualização às 13h30 de quinta-feira (04): A reportagem foi atualizada. Anteriormente, o texto informava, em determinado trecho, que o fundo previdenciário era deficitário.A informação estava incorreta. O fundo financeiro é o deficitário.