Atitudes e exemplos
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20 (Foto: Divulgação/OAB)

O Assunto é Política

Atitudes e exemplos

Por Diniz Neto em 07/06/2019 - 10:44
Player Ouça o boletim

Dia Nacional da Liberdade de Imprensa. Liberdade de imprensa que tem a ver com a liberdade de informar, com a liberdade de opinar.

Impressionante que ainda existem pessoas que acham que é possível calar a imprensa, que é possível esconder fatos, que é permitindo calar opiniões.

Eu tenho um amigo que sempre diz: notícia é aquilo que alguém não quer que se torne público. O resto é propaganda. Será?

Até não sou tão radicar e acho que o jornalismo precisa evoluir para algo positivo e construtivo. Porém a liberdade de informar e de opinar é constitucional, é universal no mundo desenvolvido e é sagrada.

Hoje também é o Dia Nacional dos Catadores de Material Reciclável. Uma atividade difícil, normalmente exercida por falta de opção pessoal, mas de grande, de enorme importância para todos.

 

ATITUDE E EXEMPLO NA OAB PARANÁ
Na Semana do Meio Ambiente a OAB Paraná faz uma semana que inclui Sustentabilidade, Acessibilidade, Meio Ambiente e Mobilidade.

Hoje cedo coube a um maringaense, o advogado e conselheiro da OAB César Moreno, por designação do presidente da OAB Paraná, advogado Cássio Telles, organizar um evento diferente em que um grupo de conselheiros e advogados foi de bicicleta do hotel Bourbon até a sede da OAB Paraná, em Curitiba.

O evento tem o foco na inovação e mudança de hábitos em favor da mobilidade sustentável.

O presidente Cássio Telles está estimulando os conselheiros a utilizarem ônibus ou mesmo bicicletas para se locomoverem na capital, durante as suas atividades mensais.

Neste caso, nada melhor do que o exemplo, do que a atitude, a ação. O presidente Cássio Telles pedalou junto com César Moreno e outros advogados.

 

POR FALAR EM ADVOGADO
O vereador Francisco Gomes dos Santos – você sabe quem é? – Chico Caiana, presidente do PTB de Maringá, orgulhou ontem o Poder Legislativo, os advogados e todos que defender a Constituição e as leis do país.

Esteve na Câmara de Maringá, para participar de uma homenagem a policiais militares, o deputado estadual Soldado Adriano José. Usando a tribuna, o deputado defendeu a tese de que bandido bom é bandido morto, em qualquer circunstância, em confronto com forças policiais e nos presídios.

Defendeu que os presídios devem ser lugares horríveis e disse que seria bom para a sociedade se os presos se matassem lá dentro.

Quando foi à tribuna, o vereador Chico Caiana, que se formou no ano passado em Direito, aos 54 anos, defendeu que os representantes do povo precisam avaliar os problemas com mais profundidade. Lembrou que nem todas as pessoas que estão presas são bandidos perigosos e assassinos. Há nos presídios pessoas que cometeram erros, que precisam pagar por eles, mas que podem se recuperar.

Ponto alto do pronunciamento do vereador: É preciso lembrar que a violência surge, muitas vezes, da omissão do estado, da falta de capacidade de incluir e cumprir a garantia dos direitos individuais.

 

POR FALAR EM CATADORES
Chico Caiana, que tem esse apelido herdado da sua mãe, a dona Caiana, teve uma infância desafiadora, em Maringá. Quando adolescente, foi catador de recicláveis no centro de Maringá. A família dependia, em grande parte, do seu esforço, dinamismo e criatividade para se alimentar. Uma bela história que muito poucos conhecem.

Finalmente, foi cobrador de ônibus, na TCCC, e em São Paulo fez carreira na construção civil, retornando a Maringá com o objetivo de ser um empreendedor. Foi assim que ele se tornou o primeiro comerciante do Conjunto Requião, atividade que mantém até hoje, agora localizado no Jardim Paulista, ao lado do Requião e do Guaiapó, nas proximidades do Contorno Norte.

 

POR FALAR EM CONTORNO NORTE
O vereador Chico Caiana é, desde o começo do mandato, o vereador mais isolado pela atual gestão municipal. Esteve ao lado do vereador Homero Marchese, na diminuta oposição ao prefeito, durante dois anos. E continua com a mesma posição, as mesmas ideias e convicções.

Ele é o principal defensor da construção da segunda pista dos viadutos sobre o Contorno Norte. Trabalho e defesa que faz desde antes da conquista dos recursos, na gestão passada.

Os 12 milhões para os viadutos foram depositados na conta da Prefeitura de Maringá em 2016. A administração fez a licitação e a finalizou, deixando o dinheiro na conta e o contrato com a construtora assinado.

O contrato com a construtora foi cancelado, em fevereiro de 2017. Com as aplicações, hoje estão na conta, para a realização dessa obra, R$ 15 milhões. Em janeiro do ano passado, 2018, o prefeito anunciou que até maio as obras se iniciariam. Estamos em junho de 2019, com dinheiro na conta e sem o início das obras de duplicação dos viadutos.

Notícias da mesma editoria