Com filiações definidas, começam as articulações para coligações e apoios
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20 (foto: Letícia Tristão/CBN Maringá)

O Assunto é Política

Com filiações definidas, começam as articulações para coligações e apoios

O Assunto é Política por Diniz Neto em 09/04/2018 - 09:57

Quer fazer contato com o jornalista Diniz Neto, encaminhar uma sugestão? Envie e-mail para oassuntoepolitica@cbnmaringa.com.br ou mande uma mensagem para o WhatsApp da CBN Maringá. O número é (44) 99877 9550

 

TEMPO. Faltam 181 dias para 7 de outubro. Cinco meses e 27 dias. Está fechado o período de filiações partidárias para candidatos às eleições deste ano.

 COMEÇA O JOGO.

Nada resolvido! Apenas temos cada partido com as suas cartas e o jogo começa pra valer.

Uma espécie de primeiro tempo, para valer, até o dia 5 de agosto.

As manifestações de apoio entre partidos podem mudar. Na prática, são indicativos a serem confirmados nas convenções partidárias, que ocorrerão entre 20 de julho e 5 de agosto.

Ficam praticamente definidas as chapas proporcionais, isto é, para deputado estadual e deputado federal. Importante lembrar que os partidos têm até as suas convenções para decidir se concorrerão com chapas puras ou com coligações.

As conversas entre os partidos, a partir de agora, serão para as coligações e, especialmente, as definições de alianças em torno da formação das chapas majoritárias: Governador, vice e dois senadores cada chapa.

Neste aspecto, é possível dizer que o quadro final está em aberto. Importante também reconhecer que há novas tendências que a partir de agora poderão ser confirmadas ou não.

CANDIDATOS POR MARINGÁ.

Todos os deputados estaduais e federais com mandato, com domicílio eleitoral em Maringá e região, serão candidatos à reeleição.

Na Câmara Municipal trocaram de partido para serem candidatos o vereador Do Carmo, que era do PR, foi para o PSL, partido que agora ele preside em Maringá. Será candidato a deputado estadual.

O vereador Homero Marchese, que se elegeu pelo PV, assinou filiação no PROS, O Partido Republicano da Ordem Social. Ele vai presidir o partido, em Maringá.

Sidnei Telles, que chegou a estudar uma filiação no PV, permaneceu no PSD. Ele é pré-candidato a deputado federal.

Mario Verri, que está presidindo a Câmara Municipal, pré-candidato a deputado estadual pelo PT.

O segundo secretário, Odair Fogueteiro, é pré-candidato a deputado estadual pelo PHS.

Belino Bravin é pré-candidato a deputado estadual pelo PP.

Outros partidos também deverão anunciar pré-candidatos. 
Para estadual:

PSDB terá Wilson Quinteiro; MDB, Umberto Crispim. Há outros filiados que poderão apresentar os seus nomes ao longo das próximas semanas.

CANDIDATOS NAS MAJORITÁRIAS.

Osmar Dias permaneceu no PDT.

Roberto Requião, no MDB (salvo alguma surpresa). As confirmações de algumas filiações podem demorar alguns dias. Dependem do anúncio dos filiados ou dos partidos.

Uma nota da direção nacional do partido definiu onde o MDB terá candidatos a governador e senador. Curiosamente o Paraná não está na lista. Se sabe que o relacionamento do senador com a direção nacional não é bom. Vamos aguardar para ver o que acontecerá.

Chamou a atenção, no fim de semana, a quantidade de notícias relacionadas a possível candidatos a vice-governador de Ratinho Júnior.

O prefeito de Assis Chateaubriand, Marcel Micheletto (PSDB), renunciou ao mandato para ser vice de Ratinho ou candidato a deputado, também a definir.

Norberto Ortigara deixou a Secretaria de Agricultura e também declarou que saia para uma provável candidatura a vice de Ratinho ou a deputado federal.

E o deputado federal Luiz Nishimori declarou, em evento de comemoração do seu aniversário, que a sua mulher, Akemi Nishimori, poderá ser candidata a vice de Ratinho Junior.

Nenhuma das declarações foi taxativa, mas é possível perceber que há vários pré-candidatos para esta vice.

REUNIÃO COM OS SECRETÁRIOS DE ESTADO.

No governo, reunião agora, às 9 horas, com os secretários. A equipe está sendo formada. Há secretarias que terão seus titulares anunciados.

Na Casa Civil, por exemplo, Silvio Barros assumiu para o trabalho inicial do governo. A qualquer momento poderá ser anunciado o titular.

OAB CONTRA VIOLÊNCIA.

A Ordem dos Advogados do Brasil declarou neste domingo, 8, que está ‘preocupada com a proliferação de gestos de violência e de desrespeito à Justiça’.

Em nota subscrita pelo presidente do Conselho Federal da Ordem, Claudio Lamachia, a entidade destaca que ‘os ataques contra o prédio residencial da presidente do STF e contra os edifícios do sistema de Justiça devem ser coibidos e punidos exemplarmente, de acordo com a lei’.

“A OAB clama por rigor e agilidade na apuração dos casos de agressões às pessoas e de vandalismo registrados nos últimos dias”, diz o texto de Lamachia. “Eles apenas agravam os problemas pelos quais o país passa”.

A nota também repudia "todo e qualquer ato de violência. O Brasil precisa de mais encontro e menos confronto. Por isso, também repudiamos e exigimos apuração e punição às agressões contra jornalistas, que exercem atividade essencial para a sociedade”.

“A solução para a crise institucional, política, moral e econômica está no fortalecimento da democracia”.

Seis jornalistas foram agredidos na cobertura da prisão de Lula, segundo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

Em Maringá, o prédio da ACIM foi atacado e pichado. A forma de ataque é muito semelhante à ocorrida no prédio em que mora a presidente do Supremo Tribunal Federal, Carmen Lucia, em Belo Horizonte.

ORDEM JUDICIAL.

A Justiça do Paraná determinou que os manifestantes contra e a favor de Lula se afastem da sede da Polícia Federal em Curitiba e não montem acampamentos no local. É lá que o ex-presidente está cumprindo pena desde sábado (7/4) por corrupção e lavagem de dinheiro. A decisão é do juiz Ernani Mendes Silva Filho, do Fórum Central da capital paranaense, tomada durante o plantão judiciário.

“Em momento de tensão social e previsibilidade de conflitos, mister que os órgãos do Estado tomem as medidas acauteladoras necessárias para garantir a segurança da população e a ordem", afirmou o juiz ao atender um pedido da prefeitura de Curitiba.

Em sua fundamentação, o juiz afirmou que o bloqueio do acesso à sede da PF extrapola o direito de manifestação. Além disso, destacou que a medida tem como um dos objetivos evitar confrontos e depredação do patrimônio público.

Apesar da decisão, na noite de sábado manifestantes das duas posições entraram em confronto e a Polícia Militar teve que intervir. A assessoria de imprensa da PF afirma que oito pessoas ficaram feridas após a confusão.