Consulta pública sobre colégios cívico-militares é prorrogada
Foto: Ilustrativa/Divulgação

Educação

Consulta pública sobre colégios cívico-militares é prorrogada

Educação por Luciana Peña em 29/10/2020 - 12:54

Dos 48 mil professores, funcionários e pais de alunos que votaram até o momento, a maioria é a favor do novo modelo. A consulta fica aberta até essa sexta-feira (30). No CBN Maringá 2ª Edição dessa quarta-feira (28), o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, falou sobre o assunto.

A proposta do Governo do Paraná é implantar 216 escolas no modelo cívico-militar no estado.

Hoje o Paraná tem 2143 escolas na rede estadual de ensino, e apenas cinco colégios militares.

Em entrevista ao CBN Maringá 2ª Edição dessa quarta-feira, o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder disse que existe uma grande demanda por mais colégios militares ou com a gestão compartilhada, como é o caso dos colégios cívico-militares. [ouça no áudio acima]

As escolas que foram selecionadas para a implantação de um colégio cívico-militar estão consultando pais, professores e funcionários. O plebiscito que terminaria nessa quarta-feira (28) foi prorrogado até essa sexta-feira (30). O secretário disse que a escola que decidir não adotar o novo modelo, segue no atual. E a opção de colégio cívico-militar será transferida para outra escola. [ouça no áudio acima]

Segundo a Secretaria de Educação do Paraná, mais de 48 mil pessoas votaram até a noite dessa quarta-feira (28). Das 216 escolas selecionadas, 52 alcançaram quórum mínimo e a maioria foi a favor da mudança.

Durante esta quinta e amanhã, sexta-feira, as escolas continuarão com o processo de consulta pública. A comunidade escolar precisa ir presencialmente às instituições, entre às 08h e 20h. O resultado final será divulgado nessa sexta-feira.

Para votar é preciso apresentar um documento pessoal com foto, e a recomendação é que se leve a própria caneta. Os pais podem votar de acordo com o número de filhos matriculados no colégio. Se tem dois filhos, são dois votos, por exemplo. No novo modelo, a gestão da escola é compartilhada. O diretor-geral será um civil, assim como os professores. O diretor militar fica responsável pelo disciplina, segurança, finanças, entre outras.
Haverá aulas adicionais de matemática e português e no ensino médio haverá disciplina de educação financeira. [ouça no áudio acima]

E a Seed alerta para um falso link que daria acesso à consulta pública. A votação é apenas presencial.