Consumo de drogas na juventude tem relação com acesso a bens, diz psicólogo
Imagem Ilustrativa/EBC

Avaliação

Consumo de drogas na juventude tem relação com acesso a bens, diz psicólogo

Saúde por Victor Simião em 02/07/2019 - 19:03

Pesquisador aponta que é necessário refletir diversas categorias para entender a questão. Senso comum atrapalha a reflexão.

A juventude é um período que vai dos 15 aos 29 anos. Muito se discute sobre o consumo de drogas pelos jovens nesse período.  O senso comum pode embaralhar a vista e apontar para reflexões erradas.

Pesquisas nacionais e internacionais indicam que a droga mais consumida é o álcool, depois o tabaco, ambas legalizadas, e na terceira posição a maconha. O psicólogo Leandro Carmo de Souza, mestre em psicologia, aponta que é necessário também entender a classe social.

Quanto maior o acesso a bens de consumo, menor a chance da utilização de drogas, afirma.

Maringá conta com diversas comunidades e leitos em hospitais e centros de atenção psicossocial para usuários de álcool e drogas. Em 2018, foram feitos mais de dois mil atendimentos. A faixa etária predominante é dos 26 e 40 anos, tendo o álcool (855), crack (511), cocaína (493) e a maconha (200) como as principais drogas. Dos atendidos, 1.745 homens e 361 mulheres.

A rede em Maringá está bem servida, avalia Souza.

O psicólogo Leandro Carmo de Souza participou de um debate sobre juventude e drogas em Maringá. Foi nessa terça-feira (02), em ação organizada pelo Conselho Municipal da Juventude. O psicólogo Fábio José Lopes também participou.