Depois do contorno, a transposição da UEM precisa voltar à pauta do município
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20 (Foto: Letícia Tristão/CBN Maringá)

O Assunto é Política

Depois do contorno, a transposição da UEM precisa voltar à pauta do município

O Assunto é Política por Diniz Neto em 16/05/2018 - 14:20

Quer fazer contato com o jornalista Diniz Neto, encaminhar uma sugestão? Envie e-mail para oassuntoepolitica@cbnmaringa.com.br ou mande uma mensagem para o WhatsApp da CBN Maringá. O número é (44) 99877 9550

TEMPO Faltam 144 dias para as eleições e 83 dias para 5 de agosto, último dia para realizações das convenções partidárias para definir candidatos e coligações.

MOVIMENTO BRASIL 200

Na sucessão dos dias, das semanas e meses, os anos vem e vão. Nem percebemos algumas datas e seus significados.

No dia 7 de setembro, exatamente um mês antes do primeiro turno das eleições, vamos completar 196 anos de independência.

A princípio mais um ano, mais um pedaço de tempo. Se pensarmos um pouco mais, veremos que estarão faltando apenas quatro anos para o bicentenário da proclamação da independência.

Foi pensando nisto que alguns empresários criaram o movimento Brasil 200, pensando nos 200 anos da independência. O movimento afirma que o Brasil ficou independente, mas os brasileiros ainda não.

No seu manifesto afirma que não defende nomes, mas ideias.

Um dos seus fundadores e líderes é Flavio Rocha, pré-candidato a presidente pelo PRB, Partido Republicano Brasileiro.

Flávio Rocha esteve nesta terça-feira, dia 15 de maio, em Maringá, justamente para lançar o Movimento Brasil 200.

O movimento defende valores na política e faz uma pergunta: Qual país você quer para o bicentenário? Ou seja, que país nos queremos para daqui quatro anos.

O manifesto também é honesto e deixa claro que não será possível fazer tudo que é necessário no país, em quatro anos. Mas defende que é preciso tem ideias fundamentais, um projeto claro, um conjunto de ideias para serem transformadas em mudanças e políticas públicas.

Empregos e família são as bases do movimento. Flavio Rocha defende que “chegou a hora de uma nova independência: é preciso tirar o Estado das costas da sociedade, do cidadão, dos empreendedores, que estão sufocados e não aguentam mais seu peso. Chegou o momento da independência de cada um de nós das garras governamentais”.

À Luciana Peña ele disse ontem que há uma imensa demanda por ordem no país.

Gostei particularmente desta afirmação: “Há estado demais onde não precisa e estado de menos onde ele precisa atuar”. Defende um choque de gestão no país, para fazer mais com menos. Alertou para o perigo dos extremos, defendendo uma ampla coalizão de centro como opção aos brasileiros.

O Movimento Brasil 200 tem um site na internet, para quem quiser conhecer mais e a entrevista com Flavio Rocha está no site da CBN, com chamada no facebook CBN Maringá.

CONTORNO DA UEM

As obras da avenida Pioneiro Alicio Arantes Campolina, em direção à Morangueira, estão na sua fase final. Uma obra que já deveria estar concluída, diga-se de passagem.

A continuação da Herval, pela rua Deputado Ardinal Ribas, em direção à Vila Esperança, está em estudos. 

Quando se fala de contorno da UEM é preciso voltar a um assunto que saiu da pauta: a transposição da UEM.

Várias ideias foram debatidas. Uma delas é um túnel, continuando a avenida Duque de Caxias.

A continuidade pela lateral da universidade, na rua Deputado Ardinal Ribas é uma alternativa importante.

Até a rua 10 de maio tudo vai bem. Depois, chega à Vila Esperança, a uma área residencial, e a continuidade precisa encontrar um caminho.

Mas são obras muito importantes para a mobilidade, em Maringá.

NA SESSÃO DE ONTEM

Foi aprovado o projeto vereador Chico Caiana que obriga a informação, nas unidades de saúde, dos profissionais que estão trabalhando, sua especialidade e horário que devem cumprir.

O projeto de lei sobre o Espaço do Saber, do vereador Sidnei Telles, que comentamos ontem, foi aprovado com 14 votos. 

40 DIAS DE GOVERNO

Essa coisa que a gente fala do tempo... às vezes nem percebemos.

O governo Cida Borghetti está completando 40 dias.

Em reunião com prefeitos da Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), ela fez uma prestação de contas: Já foram repassados R$ 235 milhões para obras em mais de 200 cidades.

Os recursos repassados às prefeituras se destinam a projetos que elas apresentaram, principalmente para obras de melhoria da infraestrutura urbana e para modernização do parque de máquinas.

Cida Borghetti teve reunião, também, com prefeitos de todas as regiões do Paraná, na Associação dos Municípios do Paraná (AMP), que agora está de novo presidente, o prefeito de Coronel Vivida, Frank Schiavini. Lembrando que o presidente anterior, prefeito de Assis Chateaubriand, Marcel Micheletto (PSDB), renunciou ao mandato para ser candidato, ou a vice de Ratinho Junior, ou a deputado federal.