Em 2 dias, temperatura cai de 30,8°C para 5,2°C em Maringá; e vai esfriar mais
Imagem ilustrativa/foto: Samuel Melo/Maringá em Fotos

Clima

Em 2 dias, temperatura cai de 30,8°C para 5,2°C em Maringá; e vai esfriar mais

Cidade por Monique Manganaro/GMC Online em 28/07/2021 - 12:05

Em apenas dois dias, os maringaenses passaram de um forte calor para um frio intenso. Esse é o resultado da chegada de uma frente fria ao Paraná, que veio acompanhada de uma massa de ar de origem polar. A atuação dos sistemas provocou a queda drástica das temperaturas e pode resultar em um frio ainda mais forte nos próximos dias em Maringá. 

Antes da mudança repentina do tempo nessa terça-feira (27), Maringá passava por um período de dias quentes e de muito sol. Os termômetros estavam registrando temperaturas próximas ou acima dos 30°C, como na segunda-feira (26), quando a cidade teve máxima de 30,8°C, segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar). 

No entanto, confirmando a previsão dos meteorologistas, a frente fria chegou e, em seguida, instalou-se a massa de ar frio, alterando completamente as condições climáticas da região. 

Após um curto período de tempo instável nesta terça-feira, Maringá sentiu as temperaturas caírem drasticamente e viu a quarta-feira (28) amanhecer com valores muito abaixo do que vinha sendo registrado. 

De acordo com o Simepar, durante as primeiras horas da manhã, a cidade registrou mínima de 5,2°C. Considerando a máxima registrada há dois dias, Maringá teve uma variação de 25,6°C em menos de 48 horas. 

Previsão

A onda de frio rigoroso estava prevista e o alerta dos meteorologistas era para a possibilidade de uma massa de ar com características semelhantes ao evento ocorrido em julho de 2013, quando Maringá bateu recorde histórico de temperatura, com -0,5ºC

Mas apesar da quarta-feira gelada, há possibilidade de esfriar ainda mais na cidade. Isso porque o período mais crítico de frio deve ser entre quinta (29) e sexta-feira (30) segundo o Simepar. 

Nessa quinta-feira (29), conforme previsão do instituto meteorológico, Maringá tem possibilidade de registrar temperatura negativa, com -1°C, e geada. Mesmo com tempo estável e sol predominando, os termômetros não devem registrar altos valores e a máxima na cidade não deve passar dos 14°C. 

Na sexta-feira (30), o frio pode ser menos intenso. A previsão indica que a mínima será de 4°C e a máxima deve chegar aos 19°C. Contudo, o tempo mais nublado dificulta a presença do sol e pode resultar em uma sensação maior de frio. 

A partir de sábado (31), a massa de ar frio começa a perder força e as temperaturas começam a se elevar gradativamente. 

 

A onda de frio que atinge o Paraná nesta semana promete ser a mais intensa dos últimos anos. As condições provocadas pela massa de ar de origem polar que deverá se instalar logo após a passagem de uma frente fria podem influenciar na formação de fortes geadas. Há possibilidade, segundo especialistas, inclusive para a ocorrência de geada negra.

O fenômeno, diferentemente das geadas “comuns”, é mais perigoso porque tem a capacidade de queimar – e, posteriormente, escurecer – plantações e outros tipos de vegetação. No entanto, a geada negra é mais difícil de acontecer. 

De acordo Fernando Mendes, meteorologista do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), é muito difícil confirmar que o fenômeno vai, de fato, voltar a acontecer no Paraná por causa das inúmeras variáveis que influenciam na formação da geada negra. “Depende muito da planta. Depende da situação do vento e da persistência para ocorrer essa situação”, explica. 

Segundo ele, de modo geral, os riscos são maiores nas áreas ao sul do estado, onde o frio costuma ser mais intenso, e em espaços onde há vegetação mais delicada ou mais recente, que pode ter a seiva congelada (confirmando a ocorrência de uma geada negra). 

O meteorologista também ressalta que, até o momento, não há como precisar em qual dia da semana o fenômeno pode ser registrado. No entanto, o atual cenário do Paraná indica que as maiores probabilidades são para quinta-feira, 29, quando uma geada mais intensa está prevista em grande parte do estado. 

Um gráfico elaborado pelo Simepar mostra que, neste dia, praticamente todas as regiões paranaenses deverão registrar geadas. Em todo o sul e em parte do leste, oeste e norte do estado, há previsão de geadas mais fortes. Veja: 

Foto: Reprodução/Simepar
Foto: Reprodução/Simepar

Paraná pode voltar a registrar geada negra nesta semana

A onda de frio que atinge o Paraná nesta semana promete ser a mais intensa dos últimos anos. As condições provocadas pela massa de ar de origem polar que deverá se instalar logo após a passagem de uma frente fria podem influenciar na formação de fortes geadas. Há possibilidade, segundo especialistas, inclusive para a ocorrência de geada negra.

O fenômeno, diferentemente das geadas “comuns”, é mais perigoso porque tem a capacidade de queimar – e, posteriormente, escurecer – plantações e outros tipos de vegetação. No entanto, a geada negra é mais difícil de acontecer. 

De acordo Fernando Mendes, meteorologista do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), é muito difícil confirmar que o fenômeno vai, de fato, voltar a acontecer no Paraná por causa das inúmeras variáveis que influenciam na formação da geada negra. “Depende muito da planta. Depende da situação do vento e da persistência para ocorrer essa situação”, explica. 

Segundo ele, de modo geral, os riscos são maiores nas áreas ao sul do estado, onde o frio costuma ser mais intenso, e em espaços onde há vegetação mais delicada ou mais recente, que pode ter a seiva congelada (confirmando a ocorrência de uma geada negra). 

O meteorologista também ressalta que, até o momento, não há como precisar em qual dia da semana o fenômeno pode ser registrado. No entanto, o atual cenário do Paraná indica que as maiores probabilidades são para quinta-feira (29), quando uma geada mais intensa está prevista em grande parte do estado. 

Um gráfico elaborado pelo Simepar mostra que, neste dia, praticamente todas as regiões paranaenses deverão registrar geadas. Em todo o sul e em parte do leste, oeste e norte do estado, há previsão de geadas mais fortes. Veja: 

Foto: Reprodução/Simepar
Foto: Reprodução/Simepar