Gilson Aguiar: 'vandalismo é instinto, sem lógica'
Imagem ilustrativa/Pixabay/domínio público

Opinião

Gilson Aguiar: 'vandalismo é instinto, sem lógica'

O comentário de Gilson Aguiar por Gilson Aguiar em 26/12/2018 - 08:17

A árvore de Natal colocada na Praça da Catedral pegou fogo. Destruída por completo nesta madrugada. Há a suspeita de que o incêndio seja uma obra de vandalismo. Duas pessoas são suspeitas de atear fogo na decoração. Foi um crime.

O vandalismo é uma prática constante contra o patrimônio que, muitas vezes, é de todos. Difícil de entender. Qual o significado do ato vândalo?

Temos que ter um olhar pouco apurado sobre o agente da destruição. Ele não tem qualquer tipo de mensagem, é apenas um tolo a se dispor contra o que atende ao interesse da maioria. O ato vândalo tem por de trás nada apenas o instinto. Não há complexidade de raciocínio de quem quer destruir o que funciona.

A vida seguindo seu curso, a alegria alheia, a beleza da vida em sua intensidade, desagrada. Há quem se incomode com a normalidade. Principalmente quando o vândalo age na busca de se fazer notar. Ele também quer se visto, já que a sua existência nada significa. Este ó vândalo.

Vale lembrar que o vandalismo é ato cotidiano. Constante no dia a dia. Muitos agem para destruir sem nada construir. Ele não está nos espetáculos de destruição, como este, no incêndio que destruiu a árvores de Natal na Praça da Catedral.

Ele tem sua presença diária nas relações que estabelecemos. Somos sabotados por pessoas que desejam apenas ver nossa frustração e não construir uma alternativa ou combater algo de ruim que estamos fazendo. O alvo do vândalo é qualquer coisa que lhe incomode, sem nenhum critério lógico.

Não temos que aceitar este tipo de prática. Mas é sempre bom entender que nem todos os seres humanos com quem convivemos tem um sentido na vida. Muitos se movem pelo mais puro instinto.