Governo Federal repassa R$ 1,7 milhão para Cultura em Maringá
Teatro Calil Haddad é a sede da Secretaria Municipal de Cultura de Maringá (Imagem Ilustrativa/Foto: PMM)

Aldir Blanc

Governo Federal repassa R$ 1,7 milhão para Cultura em Maringá

Cultura por Victor Simião em 13/10/2020 - 18:42

O dinheiro é para auxiliar espaços culturais na cidade que tiveram problemas devido à Covid-19. Para quantia entrar na conta, precisa ser aprovada pela Câmara de Vereadores em duas discussões. A primeira já ocorreu.

O Governo Federal decidiu repassar R$ 1,7 milhão para Maringá. A quantia é um auxílio para os agentes culturais da cidade que tiveram algum problema financeiro devido à Covid-19. A medida do Governo ocorre por meio da lei federal Aldir Blanc. A quantia será transferida do Fundo Nacional de Cultura para a Secretaria Municipal de Cultura.

A lei Aldir Blanc foi uma iniciativa proposta pelo Congresso. O objetivo é ajudar a cultura, um dos setores mais impactados devido ao novo coronavírus. 

Por se tratar de uma transferência que vai entrar no caixa do Fundo Municipal de Cultura, gerido pela Prefeitura, é necessário que haja aprovação da Câmara de Maringá - já que ocorre a chamada suplementação orçamentária. A primeira aprovação ocorreu nesta terça-feira (13). A próxima votação ocorre na quinta-feira (15). 

Para receber o valor, Maringá precisou seguir uma série de medidas burocráticas. Os Governos Estaduais ficam responsáveis por encaminhar uma quantia aos artistas individualmente. Os municípios, às pessoas jurídicas. Em Maringá, o subsídio varia de R$ 3 mil a R$ 10 mil.  O município estimava que iria receber R$ 2 milhões para auxiliar o setor, inclusive com novos editais.  Uma comissão foi montada na Secretaria de Cultura. 

Ao menos 76 produtores solicitaram o auxílio ao município, que ficou por avaliar a situação de cada um deles. 

Um dos vereadores que participaram da comissão que discutiu a Aldir Blanc em Maringá foi Mário Verri (PT). Na Câmara, durante a sessão, ele falou que a cidade se preparou para este momento.

 

A CBN tentou falar com a Secretaria de Cultura para obter mais informações, mas não conseguiu contato até o fechamento da reportagem.