Jovem recebe carta anônima pedindo que use roupas ‘adequadas’ no condomínio
Ana Paula Benatti. Foto: Arquivo pessoal

Maringá

Jovem recebe carta anônima pedindo que use roupas ‘adequadas’ no condomínio

Cidade por Lethícia Conegero/GMC Online em 11/05/2021 - 21:03

Uma jovem, de 22 anos, moradora de Iguatemi, distrito de Maringá, procurou a polícia após receber uma carta anônima pedindo que ela use roupas ‘adequadas’ nas dependências do condomínio. O recado foi colocado debaixo da porta de Ana Paula Benatti na última sexta-feira (7), uma semana após ela ter se mudado para o prédio.

Sem se identificar, o autor da carta escreveu: “gostaríamos que tivesse o pudor e decência de usar roupas adequadas nas dependências do condomínio”. O suposto vizinho se mostrou incomodado com as roupas da jovem e finalizou o recado dizendo que procuraria a proprietária do apartamento caso ela não mude a forma de se vestir.

Veja a carta colocada debaixo de porta:

Carta pede que moradora use roupas ‘adequadas’ nas dependências do condomínio.
Carta pede que moradora use roupas ‘adequadas’ nas dependências do condomínio.

Ana Paula, que trabalha como escriturária em um hospital de Maringá, se deparou com a carta no fim da tarde, quando retornou para casa. Em entrevista, a jovem disse estar indignada com a situação.

“Quando abri a carta não acreditei no que eu estava lendo. Achei que era zoação, pensei: ‘não é possível que uma pessoa tenha tido o trabalho de escrever isso e colocar debaixo da minha porta’. Meu sentimento foi de indignação, nojo, me deu embrulho no estômago, eu só chorava. […] Uma raiva por não saber de quem veio, por não conhecer ninguém ali ainda, e a pessoa ter feito isso comigo, sem ao menos me conhecer. Me julgando pelo que eu visto, e não pelo que sou. Foi humilhada, assediada, me senti invadida e, além do mais, me senti perseguida e vigiada, porque como a pessoa sabia em qual apartamento eu morava, sendo que eu tinha acabado de mudar?”, relatou.

Com medo, além de mostrar a carta para o síndico do condomínio, Ana Paula procurou a polícia e registrou um boletim de ocorrência nesta terça-feira (11), pelo crime de injúria.

“Meu medo maior é ser agredida ou algo pior, como um abuso, porque uma pessoa que escreveu uma carta dessa não tem respeito nenhum com as mulheres. Estou tomando as providências, de acordo com a Justiça. Já fui na delegacia e abri boletim de ocorrência. […] Uma hora a verdade vai aparecer. Mulher merece respeito, independente do que ela veste, e em qualquer lugar”, frisa.

O autor da carta ainda não havia aparecido até o fechamento desta reportagem. Ana Paula ressaltou que não pretende se mudar de apartamento. “Já me alojei aqui, já arrumei tudo e não pretendo me mudar. Já estou vendo de instalar câmeras de segurança na porta do meu apartamento e vou ficar aqui. Isso não vai me fazer mudar: nem de casa, nem quem eu sou”, finaliza.

Acesse GMC Online

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550