Lava-jato torna público esquemas de corrupção nos pedágios do Paraná
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Lava-jato torna público esquemas de corrupção nos pedágios do Paraná

O Assunto é Política por Diniz Neto em 27/09/2018 - 10:02

CONTAGEM REGRESSIVA Quinta-feira, dia 27 de setembro. Faltam 10 dias para 7 de outubro, primeiro turno das eleições 2018.

 

O ASSUNTO É PEDÁGIO

Nesta quarta-feira foi deflagrada a Operação Integração II, 55ª fase da Lava Jato, parte das investigações de casos de corrupção ligados aos procedimentos de concessão de rodovias federais no Estado do Paraná.

Os alvos das medidas são as seis concessionárias que administram o Anel de Integração do Paraná: Econorte, Ecovia, Ecocataratas, Rodonorte, Viapar e Caminhos do Paraná, além de intermediadores e agentes públicos.

Houve apreensão de documentos e 19 prisões.

 

GOVERNO VAI PEDIR SUSPENSÃO DA COBRANÇA DO PEDÁGIO

À tarde de ontem, quarta-feira, 24, a governadora Cida Borghetti determinou à Procuradoria Geral do Estado (PGE) que ingresse na Justiça com ação pedindo a suspensão da cobrança de pedágio em todo o Anel de Integração.

A medida se baseia nos fatos apurados pela Operação Integração, realizada pela força-tarefa Lava Jato, que indica manipulação dos contratos e dos preços das tarifas.

A governadora frisa que as denúncias são graves e precisam ser investigadas a fundo. Enquanto isso ocorre, defende Cida, é justo que haja a suspensão da cobrança do pedágio.

Desde abril vem sendo tomadas medidas preventivas relacionadas ao pedágio. Aconteceram demissões de envolvidos e, em junho, o governo do Paraná notificou formalmente as concessionárias sobre o fim dos atuais contratos em 2021 e criou um grupo de trabalho para o processo de encerramento dos contratos.

 

TAMBÉM PEDIU

O deputado estadual e candidato ao governo do Estado, Ratinho Junior, distribui nota registrando que encaminhou requerimento ao Governo do Estado pedindo a extinção do contrato com a Econorte, em fevereiro do ano passado.

Ratinho pediu ainda a nulidade dos aumentos sucessivos na tarifa e encaminhou questionamentos ao Tribunal de Contas (TCE-PR) e para a Agência Reguladora do Paraná. (Agepar).

 

JOÃO ARRUDA QUER OUTRO MODELO DE PEDÁGIO

O candidato ao governo pelo MDB, João Arruda, disse que é o único dos candidatos que não tem nada a ver com o atual modelo de pedágio.

Ele quer uma nova licitação, com novas normas e uma tarifa que seja abaixo de um terço do atual valor.