Maringá está em alerta laranja para o novo coronavírus
Foto: divulgação/PMM

Covid-19

Maringá está em alerta laranja para o novo coronavírus

Saúde por Fabio Guillen/GMC Online em 15/06/2020 - 17:35

Maringá atingiu o estado de alerta laranja, considerado de alto risco, para o novo coronavírus. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde de Maringá na tarde desta segunda-feira (15).

O índice de positividade acumulado na última semana, de 31,23%, somado a taxa de ocupação de leitos de UTI geral (61,86%) eleva o alerta ao nível laranja (alto risco) na matriz de risco, que determina medidas mais rigorosas no enfrentamento da pandemia, com restrição a abertura de diversas atividades. 

Com o alerta laranja, dentre as ações que a Prefeitura de Maringá poderá adotar estão o rodízio do funcionamento do comércio, serviços e indústria, manutenção apenas de serviços considerados essenciais e suspensão de qualquer atividade ou evento que promova aglomeração. 

A Prefeitura ainda não informou quais medidas irá tomar a partir deste alerta emitido pela Secretaria Municipal de Saúde na tarde desta segunda-feira, 15.

Conheça os critérios para o fechamento de atividades em Maringá

A Secretaria de Saúde de Maringá já tem protocolos estabelecidos de ações que serão tomadas para enfrentar o novo coronavírus na cidade.

Dentre as ações estão o rodízio de abertura de alguns segmentos do comércio e até mesmo o fechamento total de todas as atividades e a proibição de circulação de pessoas, o chamado lockdown.

Segundo o material divulgado pela Secretaria de Saúde, as ações serão tomadas de acordo com a taxa de ocupação geral de UTI adulto (público e privado) e taxa de positividade, que é divulgada uma vez por semana e é feita por pesquisadores que calculam a quantidade de testes que são feitos e o número que são positivados.

O cruzamento dessas duas informações, taxa de ocupação geral de leitos UTI adulto e taxa de positividade, vai gerar as ações que já estão pré- estabelecidas no documento divulgado pela Secretaria de Saúde de Maringá.

Quais são as ações?

Segundo o protocolo divulgado pela Prefeitura de Maringá, se o risco for considerado baixo (verde), o Município vai aplicar o distanciamento social seletivo básico e outras medidas. As ações são isolamento domiciliar de todos os sintomáticos e contatos domiciliares, distanciamento social no ambiente de trabalho, dentre outras medidas descritas no documento abaixo.

Se o risco for moderado (amarelo), o Município vai aplicar o distanciamento social seletivo intermediário. Dentre as ações estão a restrição do horário de funcionamento do comércio, serviços e indústria, suspensão de aulas em escolas e universidades, restrição de circulação de pessoas em horários específicos, além de outras ações especificadas no documento que colocamos logo abaixo.

Se a soma de ocupação de leitos mais a taxa de positividade indicar que o risco é alto (laranja), a Secretaria de Saúde vai aplicar o distanciamento social seletivo avançado. Dentre as ações estão o rodízio do funcionamento do comércio, serviços e indústria, manutenção apenas de serviços considerados essenciais e suspensão de qualquer atividade ou evento que promova aglomeração.

Se o risco for entendido como muito alto (vermelho), o documento estabelece que o Município vai aplicar o distanciamento social ampliado. Dentre as ações, a suspensão do funcionamento do comércio, serviços e indústria, estender os horários de restrição de circulação de pessoas, dentre outras ações detalhadas na tabela abaixo.

O último recurso que a Secretaria de Saúde de Maringá vai utilizar é o bloqueio total ou lockdown. Essa medida será adotada quando os indicadores apontarem risco extremo (preto).

Nesse caso, as ações são a suspensão do funcionamento do comércio, serviços e indústria, manutenção apenas de serviços essenciais com limite de acesso a tempo de uso e estender os horários de restrição da circulação de pessoas.

Geralmente, no lockdown as pessoas são proibidas de saírem de casa. Somente as que trabalham em atividades consideradas essenciais podem circular. É como se houvesse um toque de recolher durante o dia, mas cada Município pode definir um tipo de restrição de circulação de pessoas.

Ações que a Prefeitura de Maringá vai tomar de acordo com o nível de risco – Fonte: Secretaria de Saúde de Maringá
Ações que a Prefeitura de Maringá vai tomar de acordo com o nível de risco – Fonte: Secretaria de Saúde de Maringá

Como é feito o cálculo para indicar o risco e as ações?

Para mensurar qual o risco do momento as autoridades de saúde utilizam a informação da taxa de ocupação geral de UTI adulto (público e privado) e a taxa de positividade. Atualmente, em Maringá a taxa de ocupação geral de UTI adulto é de 61,86% e a taxa de positividade é de 31,23%. 

Portanto o risco atual é considerado alto, ou alerta laranja como as autoridades de saúde também chamam. Na tabela abaixo é possível observar como será feito o cruzamento destas duas informações para entender qual o risco.

Para descobrir o risco atual é preciso verificar a taxa de positividade (na vertical) com a taxa de ocupação geral UTI adulto (horizontal). O cruzamento das duas informações vai indicar qual o risco e a cor – Fonte: Secretaria de Saúde de Maringá
Para descobrir o risco atual é preciso verificar a taxa de positividade (na vertical) com a taxa de ocupação geral UTI adulto (horizontal). O cruzamento das duas informações vai indicar qual o risco e a cor – Fonte: Secretaria de Saúde de Maringá

Nas redes sociais, Ulisses Maia diz que vai fechar bares de Maringá

No fim de semana, o prefeito de Maringá, Ulisses Maia, foi questionado por que fechou algumas atividades e deixou outras funcionando, como os bares, que geraram aglomerações, segundo os internautas.

Para uma seguidora, o prefeito escreveu que está preparando um decreto que irá afetar os bares. Para outro internauta, foi mais incisivo e afirmou que irá fechar os bares.

Publicação de Ulisses Maia no Twitter
Publicação de Ulisses Maia no Twitter

A reportagem conversou com o internauta Kairon Rodrigues. Ele disse que tinha perguntado ao prefeito sobre o porquê fechar campinhos, que são local de lazer e esporte para a população, e deixar bares abertos. A resposta foi “os bares serão fechados”.

A reportagem também entrou em contato com a prefeitura e pediu uma entrevista sobre o assunto. Aguardamos o retorno.

Acesse GMC Online