Movimento Unidos pela Educação propõe antecipação das férias de julho
Imagem Ilustrativa | Foto: Arquivo/Agência Brasil

Maringá

Movimento Unidos pela Educação propõe antecipação das férias de julho

Educação por Luciana Peña em 19/05/2021 - 11:49

O movimento formado por pais e mães que defendem o retorno das aulas presenciais propõe a antecipação das férias escolares e o sistema híbrido no semestre seguinte. Esta semana, os vereadores aprovaram uma lei que torna a educação atividade essencial em Maringá. 

A lei que torna a educação atividade essencial foi aprovada na Câmara Municipal de Maringá e segue para a sanção do prefeito.

O autor da lei, vereador Sidnei Telles, explica o que muda na prática. Afinal, a lei significa ou não a retomada de aulas presenciais? [ouça o áudio acima]

Para o movimento Unidos pela Educação, formado por pais e mães que defendem a retomada do ensino híbrido, a lei é uma vitória.

Mas o que os pais esperam é que o Poder Público encare a educação como prioridade. A psicóloga Paola Bagatim Galina de Castilho, uma das fundadoras do movimento, diz que o município tem uma metodologia capaz de avaliar o risco de contaminação em ambientes e como calibrar o retorno seguro de atividades. Metodologia aplicada, por exemplo, no momento de decidir pela reabertura das academias. [ouça o áudio acima]

Neste momento de escalada dos casos de coronavírus, os pais acreditam que seja interessante antecipar as férias escolares e planejar a retomada do segundo semestre letivo no sistema híbrido. [ouça o áudio acima]

O Instagram do movimento Unidos pela Educação é @unidospelaeducacaomga. A Prefeitura de Maringá diz que a decisão de suspender aulas presenciais leva em conta também o deslocamento de milhares de estudantes, professores e funcionários.

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550