Pesquisa aponta diferença de preço de mais de 200% em itens da cesta básica em Maringá
Foto: Ilustrativa / Geraldo Bubniak / AEN

Procon

Pesquisa aponta diferença de preço de mais de 200% em itens da cesta básica em Maringá

Economia por Letícia Tristão em 02/06/2022 - 09:55

O limão foi o alimento encontrado com maior variação. Com a alta dos preços dos alimentos, será que dá para economizar? Economista avalia que, apesar da alta dos preços, o cenário econômico aponta para melhora. 

A conta está ficando cada vez mais cara e o carrinho do supermercado está saindo cada vez menos cheio. O preço dos produtos subiu tanto que a situação virou até meme na internet.

Mas será que ainda dá para driblar os preços e economizar nas compras do mês? Garimpar continua sendo a melhor alternativa.

Uma pesquisa do Procon de Maringá registrou variação de até 222% no preço dos itens da geladeira dos brasileiros. A pesquisa passou por 11 estabelecimentos e analisou 84 itens.

Segundo a pesquisa, essa maior diferença foi no quilo do limão. O menor preço encontrado foi de R$ 0,99 e o maior R$ 3,19.

Entre os produtos de limpeza e higiene, o sabão em pó foi o vencedor na variação, 217% no preço da embalagem de 1,6 quilo. O menor preço foi de R$ 5,99 e o maior de R$ 18,99, sem levar em consideração a marca. E nas carnes, a maior diferença encontrada foi no quilo da coxa de frango. O menor preço de R$ 5,97 e o maior de R$ 17,69.

Na avaliação do economista João Adolfo Stadler Colombo, é uma reação em cadeia. A pandemia reduziu a renda familiar, mas o valor dos alimentos também subiu muito. Apesar disso, o economista acredita que o país caminha para uma melhora econômica. [ouça o áudio acima]

O Procon simulou que se o consumidor comprar todos os produtos avaliados nos locais mais baratos, sem se atentar à marca, a economia poderia ser de até R$ 367,56. A pesquisa com o preço dos itens da cesta básica está disponível no site da prefeitura.

Imagem ilustrativa/foto: Aldemir de Moraes/PMM
Imagem ilustrativa/foto: Aldemir de Moraes/PMM