Prefeito Ulisses Maia deve anunciar apoio a Ratinho Junior
Acompanhe O Assunto é Política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Prefeito Ulisses Maia deve anunciar apoio a Ratinho Junior

O Assunto é Política por Diniz Neto em 28/08/2018 - 10:03

CONTAGEM REGRESSIVA Terça-feira, 28 de agosto. Faltam 40 dias para o primeiro turno das eleições 2018, domingo, 7 de outubro. Nesta sexta-feira, dia 31 de agosto, começa a propaganda eleitoral no rádio e na TV.

 

PSD

O destino do prefeito Ulisses Maia deverá mesmo ser o PSD e a campanha de Ratinho Junior. A informação vem de Curitiba, para onde foi ontem o prefeito de Maringá.

Houve uma expectativa do MDB de que Ulisses pudesse anunciar apoio ao seu candidato a governador, João Arruda. Mas a decisão deverá mesmo ser a desfiliação do PDT e o apoio a Ratinho Junior.

Não se sabe ainda quando haverá o anúncio.

O que se sabe é que na quinta-feira terá bolo na Prefeitura, para comemorar o aniversário do prefeito, que ocorrerá no domingo, dia 2 de setembro. Ulisses está fazendo 49 anos.

Agora é aguardar o anúncio oficial da decisão do prefeito.

 

CANDIDATO INGRESSA COM PEDIDO DE TUTELA PROVISÓRIA

O candidato a deputado federal pelo Podemos, Wanderlei Loureiro Alves, o Dedeco, apresentou um pedido de “tutela provisória”, questionando a forma de distribuição dos recursos do fundo partidário feita pela direção nacional do Partido e, posteriormente, pelas direções estaduais.

Na ação cautelar, o candidato contesta a forma como foi feita a distribuição dos recursos aos candidatos.

Ontem o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, dom TSE, encaminhou a ação para a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, a quem caberá a decisão.

Na legislação há brecha para que a decisão dos partidos, seja qual for, seja soberana.

De qualquer forma, a ação do candidato do Podemos expõe a situação de desigualdade que existe nos partidos em relação aos seus recursos.

 

POSIÇÕES OPOSTAS

Hoje os partidos atuam com posições divergente e muitas vezes opostas, nos níveis nacional, estadual e municipal.

São muitos os exemplos. Para citar um, o PROS nacional está coligado ao PT e PCdoB.

No Paraná, está na coligação com Progressista, PSDB, PSB, PTB, DEM, PMN e PMB.

Outra situação é a do MDB. O partido tem Henrique Meirelles como candidato a presidente. Mas a direção do partido no Paraná é contra a candidatura e, provavelmente, não dará palanque a Meirelles.

O partido tem candidato a governador, mas ele não deverá ter o apoio do partido organizado em todos os municípios. A independência fica por conta dos diretórios municipais organizados.

Eles não podem simplesmente ser destituídos, como acontece com as executivas provisórias.

Por esta razão a maioria dos partidos tem apenas executivas provisórias, que os comandos estaduais podem dissolver e substituir a qualquer momento. No caso de diretórios organizados e constituídos, as intervenções somente pode ser feitas na Justiça Eleitoral e, como se percebe, a legislação favorece as decisões por maioria, em assembleias e atas.

Ou, no caso, dos recursos partidários, das direções e presidências, de forma autônoma.

 

PROPOSTAS E CURRÍCULO DOS CANDIDATOS

Muito importante que os eleitores observem as propostas dos candidatos e, de forma geral, as suas trajetórias, para aqueles que já tem mandatos.

Como votaram, no caso de parlamentares, ajudaram a conquistar recursos, atuaram em conjunto com demais deputados em favor do Paraná ou da região?

No caso de candidatos ao Executivo, quais propostas principais, linhas de governo. Se já administraram, como se comportaram, o que fizeram, quais foram as suas prioridades e decisões?