Procon sob nova direção
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20 (Foto: Rodisley Souza/CBN Maringá)

O Assunto é Política

Procon sob nova direção

Por Diniz Neto em 12/06/2019 - 10:03
Player Ouça o boletim

12 de junho.

Dia dos Namorados. 

O amor está no ar...

A Prefeitura deve começar na segunda-feira, na Praça de atendimento, a receber os contribuintes que querem participar do Refis municipal. O vereador Odair Fogueteiro me passou a informação, ele que lutou bastante por esse Refinanciamento.

Vamos confirmar aqui na CBN quando começar o atendimento.

Estão no Refis ISSQN, taxas, multas, todos os tributos e taxas menos IPTU e ITBI. 
O vereador me passou um caso de um contribuinte que tem lançado um valor de R$ 30 mil de ISS e multas. Pelos refis, ele vai pagar em torno de R$ 4 mil – números passados pelo vereador Odair Fogueteiro. Portanto, quem tem valor a pagar para a Prefeitura é uma boa oportunidade para procurar a Praça de Atendimento.

Detalhe: IPTU não está no Refis, mas pode ser parcelado, em várias vezes. Importante não deixar ir para dívida ativa e cobrança judicial.

PREFEITO CONFIRMA GEISON FERDINANDI NA DIREÇÃO DO PROCON
O prefeito Ulisses Maia convidou e o advogado Geison Ferdinandi aceitou a direção do Procon Maringá.

A sua nomeação deve ser publicada no Diário Oficial dessa quarta-feira, dia 12 de junho.

Nós tínhamos adiantado, no dia 6 de junho, que Geison deveria ser o novo diretor do Procon Maringá.

Ele é o quarto diretor do Procon Maringá, desde janeiro de 2017: o primeiro foi o advogado Rogério Calazans, que deixou o órgão para dedicar-se totalmente à Secretaria de Gestão. Assumiu em seu lugar Felipe Santos Martins, que era gerente no órgão. Felipe cedeu a diretoria para o advogado João Luiz Regiani, que ficou de fevereiro a maio no comando do Procon. Assume agora o advogado Geison Ferdinandi.

SOBRINHO DE CLÁUDIO FERDINANDI E MEMBRO DA NOVA EXECUTIVA DO MDB
O advogado Geison é sobrinho do professor Cláudio Ferdinandi, presidente do Unicesumar e que foi vice-prefeito de Maringá, na gestão do Carlos Roberto Pupin, de 2013 a 2016. A nomeação, entretanto, nada tem a ver com professor, que tem uma longa trajetória política e profissional em Maringá e é filiado ao MDB, sendo uma das lideranças mais fortes do Diretório Municipal dissolvido recentemente pelo Diretório Estadual.

Geison, o sobrinho, integra a executiva do MDB, nomeada pelo Diretório Estadual e que tem como presidente o vice-prefeito de Maringá, Edson Scabora. Essa Executiva está sub judice, aguardando decisão de medida cautelar apresentada à justiça pelo Diretório Municipal, pedindo a nulidade da dissolução e a garantia da validade do mandato até outubro de 2019.

NOVA DISSIDÊNCIA

A nomeação de Geison Ferdinandi causou desapontamento em alguns emedebistas tradicionais, que apoiaram a dissolução do Diretório Municipal e que esperavam convites para participarem de equipes da administração municipal.

Falamos rapidamente sobre isso aqui no ‘O Assunto é Política’. Será preciso aguardar os próximos passos dos emedebistas neo dissidentes e a sentença da justiça sobre o diretório municipal, garantindo a nova executiva ou o devolvendo o mandato do partido ao diretório, anulando a sua dissolução.

O comando de Edson Scabora agora é contestado na Justiça e por um grupo de filiados que apoiaram a intervenção. O objetivo agora é trabalhar pela convocação de eleições para constituição de um novo diretório. Ou seja, tem muitas variáveis e possibilidades envolvendo o MDB de Maringá, um partido feito de muitas disputas e emoções. 

TRIBUNAL DE JUSTIÇA APROVA 4,94% DE REAJUSTE SALARIAL
O Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) aprovou proposta de reajuste de 4,94% para servidores do Poder Judiciário Paranaense. A proposta segue agora para votação na Assembleia Legislativa do Paraná.

SECRETÁRIO DE FAZENDA DO PARANÁ CONTINUA NEGANDO REAJUSTE SALARIAL

Na prestação de contas do primeiro quadrimestre o secretário de Fazenda do Estado do Paraná, Renê Garcia Junior, apresentou números que foram contestados pelos deputados. O secretário, representando o governo, disse que a decisão não era dele, mas que não há recursos para o reajuste dos servidores.

Os deputados não concordaram com o secretário e o assunto dominou a audiência pública.

A decisão do Poder Judiciário coloca ainda mais pressão sobre o governo do Paraná. E quando o secretário diz que a decisão não é dele está jogando a responsabilidade no colo do governador?

Vamos acompanhar as cenas dos próximos capítulos.

CPI DA JMK: JACOVÓS APRESENTA PLANO DE TRABALHO

Na segunda reunião da Comissão de deputados que investiga a empresa JMK (empresa que fazia manutenção da frota de veículos do Estado), que segundo a Polícia Civil, teriam desviado 125 milhões de reais no contrato com o governo, o deputado Jacovós, relator e coordenador da investigação, apresentou um plano de trabalho, que foi aprovado pela Comissão.

Nesse plano, entre outros procedimentos, estão previstos:

• o convite para o Delegado Alan Flore, da Divisão de Combate à Corrupção para prestar informações à CPI.

• convocação da ex-secretária de Administração, Dinorah Botto Nogara, responsável pela pasta em 2015, quando o contrato foi assinado.

A CPI definiu também que fará sessões itinerantes nas principais cidades do Paraná, para ouvir possíveis vítimas da JMK.

Notícias da mesma editoria