Torcedores brigam nas arquibancadas durante jogo do MFC e Athletico PR, no Willie Davids
Foto: Fernando Teramatsu/Maringá FC

Confusão

Torcedores brigam nas arquibancadas durante jogo do MFC e Athletico PR, no Willie Davids

Esporte por Letícia Tristão em 27/01/2022 - 09:28

Nas redes sociais, os comentários são sobre a falta de segurança dentro do estádio. A confusão marcou a partida, que foi a primeira com público no estádio depois do início da  pandemia de Covid-19. E o embate, dentro de campo, terminou em 0 a 0.

A confusão aconteceu no intervalo do jogo. Vídeos nas redes sociais e imagens enviadas por ouvintes, mostram a troca de provocações que resultou em briga nas arquibancadas do Estádio Willie Davids.

Pelas imagens, é possível ver as torcidas alvoroçadas, tentando derrubar a divisória e arremessando mesa plástico.

Ouvintes da CBN enviaram mensagens mencionando falta de segurança dentro do estádio. O relato é de que havia alguém nas torcidas com uma barra de ferro na mão e de que a polícia teria demorado para agir. Nas redes sociais do MFC, os comentários também são sobre a falta de segurança no estádio.

A reportagem entrou em contato com as assessorias dos clubes, com a Polícia Militar e com a prefeitura, mas não obteve retorno até o fechamento da reportagem.

O Maringá FC recebeu em casa o Athletico Paranaense pela segunda rodada do Campeonato Paranaense, nessa quarta-feira (26). Em campo, o embate terminou em 0 a 0.

Foi a primeira partida oficial do MFC com público no estádio depois do início da pandemia, cerca de 6 mil torcedores nas arquibancadas, segundo o clube.

Após o término do jogo, o treinador do time, Jorge Castilho, falou em coletiva de imprensa sobre a performance do MFC na partida. Segundo o treinador, o time evoluiu, embora precise melhorar nas finalizações. [ouça o áudio acima]

O assunto da confusão não foi mencionado na coletiva. O MFC disse que prepara uma nota para a imprensa sobre o ocorrido no estádio. O próximo jogo do MFC é no sábado, contra o Paraná Clube, também no Willie Davids.

(atualizado às 10h38):O Maringá Futebol Clube emitiu uma nota na manhã desta quinta-feira (27) repudiando os atos de violência que ocorreram durante o intervalo do jogo e manifestando que não compactua com confronto entre torcedores. Leia a nota na íntegra:

“O Maringá Futebol Clube repudia todos os atos de violência e não compactua, tampouco aceita, confrontos entre torcedores, priorizando, desde sempre, a união de todos os presentes, visando proporcionar um ambiente acolhedor, de festa e alegria, que possa ser frequentado por toda a família.

O Clube lamenta, profundamente, o episódio ocorrido durante o intervalo da partida de ontem, 26, entre Maringá Futebol Clube e Athletico Paranaense, que jogavam a segunda rodada do Campeonato Paranaense 2022, no Estádio Regional Willie Davids.

Na ocasião, grupos isolados de baderneiros, pois não podem ser tratados como torcedores, entraram em confronto no espaço que separa a área da torcida visitante com o setor da arquibancada descoberta.

O espaço em questão é separado e isolado por dois portões, que foram totalmente destruídos por um grupo da torcida organizada visitante, os quais invadiram o setor da arquibancada descoberta, entrando em confronto com alguns cidadãos locais.

O Maringá Futebol Clube buscará punições cabíveis às pessoas que incitaram ou participaram de qualquer ato violento durante e após a partida, e que estão sendo identificadas pelos vídeos que estão circulando nas redes sociais, além de procurar, junto à Federação Paranaense de Futebol, a possibilidade de torcida única nos próximos jogos, já que todo o espaço que isola a área do torcedor visitante foi destruído durante o aludido confronto, impossibilitando a separação de torcidas para jogos futuros.

O Maringá Futebol Clube ainda informa que, desde o dia 29 de novembro de 2021, solicitou junto ao 4º Batalhão de Polícia Militar de Maringá o policiamento intensivo no entorno e dentro do Estádio Regional Willie Davids para todos os jogos com mando do MFC. Atendendo nossa solicitação, estavam presentes, na partida de ontem, um grande contingente de Policiais Militares, incluindo equipes especializada da ROTAM e demais seguranças particulares, não armados, contratados pelo Clube.

No espaço onde houve o confronto, encontravam-se cinco seguranças do Clube que, devido ao número de baderneiros envolvidos, não conseguiram conter, de imediato, o avanço e o vandalismo perpetrado pela torcida visitante, o qual foi efetivamente neutralizado após a atuação da equipe policial presente, que evitou que a confusão se alastrasse.

Entendemos que futebol é alegria, emoção, saúde e entretenimento. Por isso, jamais o Maringá Futebol Clube irá tolerar esse tipo de comportamento, independente de qual torcida for. Lamentamos o ocorrido e para as próximas partidas faremos o que for possível para evitar qualquer tipo de violência.

Atualizado às 11h45:

A Polícia Militar enviou uma declaração dizendo que havia efetivo de policiais suficientes no local desde o início do jogo. Disse que em razão da animosidade de um pequeno grupo da torcida, foi necessária a intervenção da PM. Segundo a polícia, assim que começou a briga a PM agiu no limite da lei, de forma proporcional às agressões que estavam ocorrendo.

A prefeitura também se pronunciou. Disse que “está acompanhando as investigações policiais relacionadas às brigas e deterioração do patrimônio público registradas no estádio.” Informou ainda que “equipes da Guarda Civil Municipal e Polícia Militar do Paraná fizeram vistorias no local na manhã desta quinta-feira (27) para avaliar os estragos causados após a briga entre torcedores dos dois times.”

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550