Reportagem da CBN é citada durante o debate sobre regime único

Polêmica

Reportagem da CBN é citada durante o debate sobre regime único

Política por Luciana Peña em 11/12/2019 - 09:50

 Ao defender  que projeto da migração de celetistas para estatutários precisa ainda de estudo técnico aprofundado, vereador Chico Caiana citou a reportagem sobre desequilíbrio financeiro na saúde em Maringá. O debate foi acalorado e teve vereador até com microfone cortado.

Como a CBN informou,  a sessão da Câmara de Maringá na noite dessa terça-feira foi acompanhada por dezenas de servidores municipais que lotaram o auditório do plenário. São celetistas que esperam ver votado o projeto que os transforma em estatutários. Mas o projeto não chegou ao plenário porque faltam documentos e agora até o Ministério Público está questionando a proposta de alteração no regime de contrato desses servidores. O debate foi acalorado com vereadores ora vaiados, ora aplaudidos.  Os parlamentares justificaram que a mensagem de lei do Executivo não traz todos os documentos necessários para o parecer da Câmara de Finanças e Orçamento. O vereador Jean Marques disse que a proposta é também inconstitucional. E alertou os servidores, dizendo que eles podem ser prejudicados. 

Entre os documentos que faltam estaria um estudo técnico de impacto financeiro aprofundado, segundo o vereador Chico Caiana. Ele inclusive citou uma reportagem da CBN Maringá. A reportagem de Victor Simião que trata sobre o desequilíbrio financeiro na área da saúde, causado por queda de receita das transferências do Estado e da União. 

No calor da discussão o vereador Carlos Mariucci teve o microfone cortado. Ele queria falar, mas foi impedido porque segundo o presidente da Câmara, “já atrapalhou demais”.

Depois de algum tempo o microfone foi liberado para Mariucci.

Nós perguntamos ao vereador Carlos Mariucci o que o presidente quis dizer com o “vossa excelência já atrapalhou demais “. A resposta foi que o presidente da Câmara teria atribuído  a manifestação dos servidores ao vereador Carlos Mariucci que já tinha falado a favor do projeto.