Saúde segue sem agendar consultas médicas por telefone e internet
Google Imagens/ Ilustrativa / DeFato

Maringá

Saúde segue sem agendar consultas médicas por telefone e internet

Saúde por Carina Bernardino em 08/04/2019 - 19:20

Dificuldade é no atendimento de idosos. Prefeitura estuda criar escuta ativa para acolhimento deste público. Porém, serviço também será para gestantes, doentes crônicos e deficientes. 

O processo de implantação do agendamento online e por telefone de consultas médicas em Maringá ainda não foi finalizado. A lei que autoriza os serviços para públicos considerados prioritários foi sancionada em novembro de 2018. O objetivo é de dar mais comodidade as pessoas que têm dificuldades de ir até as unidades básicas de saúde.

A gerente de Assistência à Saúde, Clície Fabri, explica que o serviço de agendamento às gestantes por telefone já existe, mas que há dificuldades de atender os idosos que têm mais demandas durante as ligações telefônicas. Por conta disso, o município estuda implantar uma escuta ativa para acolhimento deste público.

 A legislação municipal diz que o agendamento de consultas médicas por telefone e o serviço online são para idosos, gestantes, doentes crônicos e pessoas com deficiência. Nos projetos, são considerados como terceira idade as pessoas com mais de 55 anos.